quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

180 índios dormem ao relento na Esplanada dos Ministérios

Essa noite 180 índios dormiram na parte central da Esplanada dos Ministérios. Por várias horas foram recepcionados por estudantes da UnB, membros do sindicato de servidores públicos de Brasília e membros do MST, que lhes foram levar solidariedade e ajuda de mantimentos. Nada mais. Passaram uma boa noite juntos, com dificuldades e desconforto, mas seguros de si. Alguns em tendas, outros simplesmente com cobertores ao relento.

Acordaram com a disposição para resistir às investidas da cúpula da Funai para que desistam do movimento que os uniu e que vai contra o decreto de reestruturação (que acaba de ser apostilado, do que falaremos em breve) e a saída da cúpula do órgão. A pressão é enorme.

Uma meia hora atrás, o índio Xukuru, Marcos Luidson, veio conversar com os nordestinos. Marcos Xukuru, que faz parte do CNPI e que sabia do que vinha acontecer, tinha sido contrário ao movimento desde o primeiro momento, ainda na grande reunião realizada em Recife, dia 4 p.p., com a participação de mais de 200 lideranças de índios de Pernambuco e Paraíba.

Entretanto, domingo passado ele veio a Brasília, convocado pelo CIMI, ao que parece, ou pela própria cúpula da Funai (pelos serviços que está prestando) e parecia que ia participar do movimento. Entrou na sede da Funai, conversou com diversos grupos e foi festejado como um companheiro que retorna ao lar. Um pródigo.

Parecia estar ao lado do movimento. Qual o quê! Ao que tudo indica, Caboquinho e Capitão Ciriaco, dos Potiguara, foram levados à cúpula da Funai por seu intermédio. Nesse momento, em frente ao MJ, Marcos Luidson chegou para convencer um grupo de líderes indígenas para falar com a cúpula. Conseguiu persuadi-los. Lá estão.

Que estarão conversando? Será no teor da conversa dos Xavante ou na conversa dos Potiguara?

Enquanto isso, permanecem cerca de 100 índios em frente ao MJ, muitos dispostos a tudo menos conversar com a cúpula da Funai.

Enquanto isso, segundo informações de um grupo de discussão entre antropólogos e Ongs, eis o que se passa em frente à sede da Funai:


Lamentável ter que repassar essas informações abaixo.
Três camburões e aproximadamente quinze soldados da Força Nacional estão na sede da FUNAI. O objetivo é impedir a entrada de indígenas dentro do prédio, inclusive daqueles que procuraram atendimento do órgão, uma vez que foi anunciado expediente normal aos funcionários.
Estudantes indígenas da UNB que procuraram atendimento da FUNAI, foram impedidos de entrar.
Outros que precisavam ir ao banheiro foram escoltados pelos policiais.
A FUNAI 'órgão indigenista oficial' deveria rever a sua postura em relação aos parentes. Uma instituição tida como referencia dos povos indígenas e considerada como nossa casa fechar as portas aos seus. Me pergunto: que novo indigenismo é esse???????? ???? Que postura indigenista é essa??????? 
Que isso sirva para nós indígenas rever nossas posições em relação a essa instituição governamental e aos apoiadores dessa atual gestão. 
Estão mesmo defendendo os interesses dos povos indígenas?? Do Governo??? Defendem interesses próprios???

21 comentários:

Anônimo disse...

É INACREDITÁVEL O QUE ESTÃO FAZENDO COM OS ÍNDIOS. ONDE FICA A DEMOCRACIA DESSE PAÍS?
PRESIDENTE LULA ATENDA AS LIDERANÇAS INDÍGENAS. ELAS PRECISAO SER OUVIDAS, POIS TEM COMPROMISSOS PROFISSIONAIS EM SUAS ALDEIAS. TEM FAMÍLIAS E NAO PODEM FICAR A MERCÊ DO GOVERNO.

Observador disse...

Que descaso com as populações indigenas do País, que descaso com o indigenismo construido com tanto esforço, que vergonha para os dirigem esse país. Uma simples conversa podeia por fim a todo esse massacre. Pois bem Presidente Lula, vale lembrar que estamos em ano eleitoral e todos sabemos que sairá em busca de apoio até mesmo de nossas populações. Será que encontrará? Seráque seus acessores não estão lhe deixando consciente da barbarie que está cometendo? Será que o Marcio Meira vale tanto assim, ao ponto de Vossa Excª perder o apoio daqueles que sempre o apoiaram?
Acho que está na hora de refletir, pois ainda há tempo para que venha se redimir diante das populações indigenas do país.

observador disse...

Parabens!!!! Mércio estamos distantes e nos sentimos proximos por estarmos acompanhando seu blog. E Parabens! pelo trabalho e pala dedicação aos povos indigenas. Estive com o senhor quando em visita a uma aldeia da Bahia e de lá para cá, tenho a cada dia aprendido cada vez mais a respeitar os povos indigenas do nosso pais, tenho orgulho de ter sido liderado por sua competencia e compreensão aos povos indigenas do Brasil.

Observador disse...

Nunca acreditei desde o inicio que Marcos Xucuru fosse se colocasse comoum filho prodigo, não possue carater para isso, não possue dignidade para isso, sua alma está vendida até fim. O CIMI, este é que devemos ter cuidado, é mais uma estratégia da atual direção e de Ongs se infiltrarem e tentar acabar com o movimento indigena.

Anônimo disse...

Voces tem é que voltar paa casa, não adianta lutar por algo que já foi perdido. Tudo já fora negociado e custurado, todos voces so querem saber é do Dinheiro e não do Decreto.

Anônimo disse...

Não Anonimo. Acredito nos que lá estão. Foi bom para o movimento a saida dos que estavam em busca de beneficiosproprios. O que espero é que as comunidades indigenas de todo pais cobrem desses que se venderam: isso me recorda o filme que trata da corrupção de Ongs: "Quanto vale ou é por quilo". Agora o movimento está puro, sem corruptos, e sei que os índios de pernambuco que lá estão não decepcionaram seu povo. Serão lembrados para sempre, pois estão reconstruindo a sua hisoria, não estão em busca de assistencia financeira, não serão vendidos, não perderam sua dignidade, pois, são guerreiros e darão suas vidas pelo futuro dos Povos indigenas em todo País.

Anônimo disse...

ANYA:
Deus do céu, que desastre!
O Cacique Chicão, só pensava em se relacionar com a Funai, em suas piores depressões.

Anônimo disse...

PLACAR DO JOGO
do COMBINADO da turma do PAC + ONG'S x INDIGENISMO

Publicação do decreto 7.056 =>combinado 1 x 0 indigenismo
Mobilização de índios e servidores PE/PB em Recife => combinado 1 x 1 indigenismo
Deslocamento dos índios PE/PB/MT a Brasília => combinado 1 x 2 indigenismo
Cúpula da Funai se refugia no MJ=> combinado 1 x 3 indigenismo
Índios fecham sede da Funai => combinado 1 x 4 indigenismo
Ludibriamento dos Kaiapó => combinado 2 x 4 indigenismo
Conflito dos Kayapó com Xavante => combinado 3 x 4 indigenismo
Índios invadem Funai no Paraná => combinado 3 x 5 indigenismo
ISA faz apologia ao decreto no site da Funai =>
combinado 4 x 5 indigenismo
Indigenistas respondem e esclarecem interesses=> combinado 4 x 6 indigenismo
Direção da Funai consegue reintegração de posse da sede => combinado 5 x 6 indigenismo
Policia Federal intimida lideranças indígenas=> combinado 6 x 6 indigenismo
Cimi critica falta de diálogo e “comitês reginais”
=>combinado 6 x 7 indigenismo
PT blinda o Presidente Lula, para não ouvir os índios => combinado 7 x 7 indigenismo
Requião defende os índios=> combinado 7 x 8 indigenismo
Potiguaras se rendem sem mudar nada =>combinado 8 x 8 indigenismo
Arcebispo de Goiana defende o indigenismo
=>combinado 8 x 9 indigenismo
Índios são expulsos pelo aparelho repressor do estado => combinado 9 x 9 indigenismo
Índios acampam na frente do MJ=> combinado 9 x 10 indigenismo
Índios e estudantes da UNB reprimidos pela ditadura petista
=>combinado 10 x 10indigenismo

Anônimo disse...

Gente a repressão é geral, tentei a tarde toda acessar o blog do Mercio e não consegui, agora em casa estou acessando, acho que mandaram bloquear o acesso na FUNAI. Essa turma esta mandando e desmandando, só pode ser a dupla dinâmica Primeiro Damo, onde nos vamos parar agora.

Anônimo disse...

Prezado Mércio,

Via a ditadura militar e me assombrei com tanta arrogância de servidor públicos de alto escalão usando a polícia contra o povo; Estamos vivendo uma ditadura de esquerda com este ato do Ditador Márcio Meira?

Anônimo disse...

Viva a democracia, viva a liberdade de expressão, é isso que a comunidade indígena quer, se bloqueiam o acesso a entrada dos índios na FUNAI, se impedem os índios de protestarem contra o Decreto, acabam com algumas Administrações Regionais, impedem o acesso ao Blog, imaginem o que irão fazer depois da vitoria que tiveram...............

Não podemos mais acessar o Blog do Mercio Gomes para ver as informações e nem para epressar indignação

Anônimo disse...

Não acredito que seja o nosso Presidente Marcio, mas sim os seus amigos............

Anônimo disse...

Viva a ditadura!

Quero a volta da ditadura militar. Já! Pelo bem do Brasil. Ficamos mais burros com a democracia. Apresento os meus argumentos. Mino Carta, por exemplo, é um perfeito idiota ítalo-brasileiro que já foi considerado um gênio do jornalismo nos 'anos de chumbo'. Hoje, dirige uma revista cuja única qualidade é ser chapa-branca, o que permite aos petistas empedernidos considerá-la independente, isenta, objetiva e neutra. Carta Capital é a Veja da esquerda. Millôr Fernandes é um gênio que se tornou idiota. No tempo dos milicos, Millôr detonava, arrasava e cuspia uma frase inteligente atrás da outra. Na Veja atual, até a carta ao leitor consegue ser mais divertida que ele. O Brasil está cheio de gênios que viraram idiotas passada a ditadura. O caso mais notório é o do compositor Chico Buarque. O rapaz era uma máquina de produzir metáforas brilhantes que deixavam os generais em ponto de bala e as mulheres nuas. Parece que a mais devastadora era de uma genialidade singela incomparável: 'Você não gosta de mim, mas a sua filha gosta'. Terminada a ditadura, Chico Buarque só conseguiu fazer 'Estorvo', 'Benjamin' e 'Budapeste', uma rentável trilogia do vazio. Claro que com muito sucesso, num caso típico de transferência de capital (simbólico) de uma rubrica para outra. Mas tem pior. Na época em que o pau comia, houve uma turma que criou o Pasquim, um monumento à irreverência. Restabelecida a democracia, o melhor que o pessoal conseguiu foi elaborar uma revista chamada Bundas, cujo maior feito consistiu em ser uma Caras com um pouco menos de criatividade e um pouco mais de chatice. Não é pouco. O teatro brasileiro morreu depois da ditadura. O cinema virou televisão de péssima qualidade. Pensando bem, nisso avançamos bastante. A música virou funk e pagode. As nossas imagens estão cada vez melhores: 'Abre as pernas e senta no meio dela...'. O pós-ditadura enterrou o Brasil na 'midiocridade'. Fernando Gabeira chegou a profetizar o 'crepúsculo do macho'. Agora, comporta-se como um simples macho no crepúsculo. Até o atual presidente da República fazia e acontecia no apagar das poucas luzes ditatoriais. O povo não é bobo. O povo não se engana. Elegeu com fartura de votos o único agitador que continua muito criativo depois do regime militar: Clodovil. A ditadura é a única saída para os nossos artistas. Nela, o ministro Gilberto Gil era apenas um jovem cantor e compositor genial.

(Juremir Machado da Silva)

Anônimo disse...

os índios já perderam sua cultura, assim que desaprenderam com os portugueses a serventia do ouro. exceto por algumas poucas tribos sortudas que nunca viram olhos azuis, os indígenas estão irremediavelmente contaminados pela febre de consumo. isso não é tão mau quanto parece. hospitais e escolas são bens cuja construção demandou aos europeus milênios de evolução. ervas da floresta podem curar muita coisa, mas duvido que substituam um transplante de coração. e o conhecimento dos índios poderiam ser muito útil aos médicos brancos. em cuba, país que tem a melhor medicina do mundo, os remédios mais usados vêm de plantas, pesquisadas por cientistas junto aos curandeiros. os índios poderiam ajudar nossa cultura a evoluir em diversos setores, em contrapartida deveriam compartilhar as benesses da civilização. perguntem a um índio desses que vendem cestos se ele não preferia ser médico, jornalista ou engenheiro.

alguém vai considerar esta proposta uma heresia. "no xingu os índios vivem na floresta em comunhão com a mãe terra, numa sociedade igualitária. eles são mais felizes longe da civilização." bem, os índios do xingu são empresários. extraem madeira [de maneira sustentável, espera-se] e têm aviões e escolas. são a melhor experiência da funai com reservas. a civilização não parece ter feito mal a eles. sua cultura está mais forte do que nunca. aprendem a escrever em sua própria língua, tarefa impossível sem a ajuda dos gramáticos brancos. em contrapartida, existe uma tribo na amazônia cuja maior diversão entre os jovens é trocar cacetadas. muitos deles têm o crânio afundado em vários locais. índios são exemplo de respeito aos idosos. há uma outra tribo em que as velhas são obrigadas a andar de quatro o dia todo, para que os adolescentes possam ter a iniciação sexual com elas, quando sentirem vontade. há pessoas que se escandalizam com o chador das mulheres afegãs e pregam a invasão do país pela civilização ocidental. se alguém propuser o mesmo com as mesmas tribos cujos hábitos foram descritos, será tachado como reacionário. reacionarismo é a arrogância dos brancos em manter os índios ignorantes, acreditando, talvez até mesmo sinceramente, ser este o melhor caminho. estas pessoas estão sinceramente equivocadas.

a cultura indígena deve ser preservada, sim. o conhecimento da natureza e a filosofia de vida dos índios pode trazer revoluções na cultura ocidental. do mesmo modo que a cultura ocidental pode melhorar as condições de vida das tribos restantes e até mesmo permitir uma melhor difusão de sua cultura. imagine uma página na internet onde se pudesse ler sobre o conhecimento dos ianomâmis, por exemplo. feita, evidentemente, por um dos próprios ianomâmis. grande parte de todas as culturas é composta por crendices calcadas na ignorância. outra parte é conhecimento realmente útil. os índios brasileiros precisam de educação, devem conhecer a cultura e a tecnologia dos brancos, para poder decidir o que é bom em sua própria cultura e eternizar estas partes, deixando para trás os costumes baseados na falta de horizontes. eles devem ser integrados o mais rápido possível à sociedade, para que todos possamos aproveitar seu tesouro cultural e eles possam aproveitar a infraestrutura da civilização para potencializar suas manifestações culturais e ajudar a decidir os rumos do Brasil. Que, afinal, já foi deles

Anônimo disse...

Estilo de vida tão nosso! A farinha uarini que comemos. Quem não gosta?

A rede que usamos nas nossas sestas ou quando viajamos de barco. A tapioca, que delícia! Comemos no café da manhã; normalmente amanteigada. Algumas pessoas preferem-nas com côco ralado ou com tucumã. Ah, bem regionalista! O tucupi, tacacá, caruru etc. Os peixes nem é bom falar! Cada um melhor que o outro: Tambaqui, jaraqui, pacu, bodó, cuiucuiu etc. Quantas maravilhas comestíveis! Somos privilegiados por natureza. Um dos transportes mais utilizados pelos ribeirinhos, e até mesmo pelo próprio manauense, é a canoa. Vai e vem em todas as direções, rio acima, rio abaixo. A pesca ainda é feita pela população da mata. Os bois Garantido e Caprichoso são elementos folclóricos na área artístico-cultural; mistura de valores e crenças do caboclo. Convivemos com o mundo fantástico da raça indígena que, felizmente, não morreu em suas origens. Seja cantando uma toada de boi ou tomando banho de igarapé, é riquíssima essa cultura. Entretanto não podemos fechar os olhos e deixarmos de reconhecer a força étnica desse povo em nossa vida. Refletir, também, o quanto essa gente foi massacrada, mas que não se deixou sucumbir nos reveses de anos a fio de exterminação. Deu verdadeira lição de vida às pessoas civilizadas. Demos a César o que é de César. Não podemos conviver com o peso desse pecado. Precisamos devolver a auto-estima dessas criaturas espoliadas; resgatar, assim, a sua dignidade, pois somente dessa forma, redimiremos nossas almas de tal crueldade do passado.

Anônimo disse...

Inacreditável é:

....o depoimento ridículo do antropólogo Gilberto Azanha (CTI) no site da Funai. A propósito, até seu filho, Aloísio Azanha, é assessor DAS-3. Não se trata de algum tipo de nepotismo ou privilégio de informações. Isso é inescrupuloso, descaramento !!!!! Pouca vergonha mesmo !!!!

.....o silêncio do Ministério Público Federal diante dessa “barbárie” contra os Povos Indígenas !!!!!

Anônimo disse...

Tentando uma abstração do disposto no Decreto 7.056, nota-se que por trás disso a presidência da Funai conseguiu montar uma crise que nunca foi vista “antes na história desse país”.
Está protagonizando uma gigantesca catástrofe do ponto de vista social, uma desarmonia sem precedentes entre os povos indígenas. Usar a força policial contra os índios e, contando ainda com apoio de ONGs que se dizem indigenistas é característico de uma política stalinista.
Qual o próximo passo? Chamar as forças da ONU???? “Acho que o Haiti...é aqui !!!.

Anônimo disse...

NOVO EMPATE NO PLACAR

Márcio Meira afirmou que Lula sabia de tudo
=>combinado 11 x 10 indigenismo
Índios pernambucanos rejeitaram proposta indecorosa=>
combinado 11 x 11 indigenismo

Anônimo disse...

Caro Mércio,
fiquei ausente durante alguns dias por questões de saúde... e somente hoje, agora, tomo conhecimento de tudo que aconteceu desde terça-feira p.p. Dá para acreditar nos verdadeiros indígenas que ainda resistem e lutam pela revogação do Decreto 7.056 e pela saída do Márcio Meira e toda sua corja de "poliqueiros"... Não dá para se acreditar no CIMI, CNPI e ONG's NEFASTAS que tentam ludibriar os povos indígenas... Não dá para acreditar que algumas etnias tenham se retirado do movimento de luta... que algumas "LIDERANÇAS" tenham se vendido, se trocado por qualquer tostão ou promessas ridículas... FOI e É uma grande VERGONHA para os povos indígenas a POSTURA do "índio" Marcos Xucuru... Não acredito que se o seu Pai Chicão fosse vivo - tomasse tal posição ou tivesse uma postura tão vergonhosa... O filho é uma CRIA do CIMI... o rapaz levou uma "lavagem cerebral" tão grande que hoje até parece um boneco de pano, uma marionete... E os outros que ENVERGONHAM os paraíbanos, os índios de baía da traição... Mas, infelizmente sabemos que em todos os movimentos de luta, de batalha, de guerra até, EXISTEM os traidores, os fracos, os impotentes, os pequenos... àqueles não aprenderam ainda o verdadeiro sentido da união... a "união que faz a força"... Quando era uma estudante primária, aprendi a fazer uma comparação entre os povos indígenas - com as formigas e as abelhas, assim: as formigas trabalham arduamente e todas juntas para armazenar comida para o inverno; as abelhas, também juntas, para fabricar o mel... Tanto as formigas como as abelhas -elas sempre ficam juntas, unidas, em conjunto, em comunidade, em família...
Sinto uma tremenda vontade de chorar por àqueles não aprenderam nada nem com as FORMIGAS e nem com as ABELHAS!!! Mas, vamos prá frente... Vamos ver o que eles ganharão em troca por terem vendido sua alma, sua dignidade, seu orgulho de SER UM VERDADEIRO ÍNDIO!!! Daqueles que a gente tira o chapéu e que respeita!!! Tomara que essa luta tenha uma final feliz para todos nós... para todos os nossos índios lutadores, guerreiros, íntegros e guardadores de sua própria cultura...

Anônimo disse...

Não sei que é o autor do “placar”, mas acho que dá para melhorar:
http://portalamazonia.globo.com/pscript/noticias/noticias.php?idN=99256
....Índios de Rondônia protestam contra extinção de sedes regionais da Funai. Uma comissão viajará à Brasília para se juntar a outros grupos que protestam contra o fechamento das sedes regionais.

Caetaneando disse...

Muito me preocupa os rumos que estão sendo tomados por este movimento! Me parece que a bomba vai estourar nas administrações, onde já não existe quaisquer suporte adequado para as demandas indígenas, quer seja logístico, financeiro ou jurídico. Acho que a batalha parece perdida, mas que a guerra está apenas começando...

Em Brasília é fácil convocar os quartéis e suas forças policiais. E nas administrações, e nos interiores? Quem vai responder pelo desastre que se anuncia?
A cúpula da FUNAI, o governo federal, o MPF, o Congresso?

 
Share