terça-feira, 17 de junho de 2008

Pajé Guaíra filosofa e diz que não sai de Piaçaguera

Atentem para essa entrevista com o pajé Guaíra, um senhor Guarani da comunidade guarani de Peruíbe, litoral de São Paulo, sobre a construção do Porto da empresa LLX, de Eike Batista. (Para complementar as informções, ver logo abaixo uma entrevista com uma índia Guarani que dá mais detalhes do caso da construção desse porto e da possível retirada e transferência de uma comunidade guarani que vive exatamente onde se pretende construir o porto.)

Com uma lucidez impressionante, com uma modéstia estóica e com uma linguagem filosófico-teológica, o pajé Guaíra analisa em poucas palavras o mundo dos brancos e seu próprio mundo. Reconhece o poder da civilização, mas se fia na sua liberdade e no seu sentido de vida. A certa altura diz que o dinheiro pode tudo, mas também não pode nada, dependendo de quem o dinheiro pretende atender. Às pessoas de fé e esperança, o dinheiro não vale nada.

A entrevista foi feita na aldeia Piaçaguera pelo jornalista Bruno Rios para o site PortoGente, da cidade de Peruíbe.



Um comentário:

Gilmar Doistempos disse...

Perdoe o óbvio: cadê o texto da entrevista?

Grato :)

 
Share