quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

A FIFA, Blairo Maggi e os índios


Está ficando cada vez mais fácil para o governador Blairo Maggi. Ontem, ao recepcionar a equipe da FIFA, que fora a Cuiabá para inspecionar o estádio de futebol e ver os atrativos daquela linda cidade, com vistas à escolha de uma sede do Mundial 2014 numa cidade do Pantanal (a outra concorrente é Campo Grande), lá estava presente na comitiva do governador o glorioso cacique Raoni Txukarramãe.

Pode parecer que estão usando Raoni como mais um atrativo para essa escolha em Cuiabá. O governador não está nem aí para esse tipo de crítica. Ele genuinamente gosta de Raoni e respeita sua posição no panorama indigenista brasileiro.

Blairo Maggi é um político muito sagaz. Age no sentido de fazer as vezes da Funai, substituindo-a em suas obrigações, como se fosse para desmoralizá-la. Determina os licenciamentos de hidrelétricas, resolve as pendengas entre meio ambiente e desenvolvimento, escanteia a ação do Ministério Público, estabelece a ordem e o poder dos fazendeiros no seu estado, e ainda posa de amigo e protetor dos índios.

A estadualização da questão indígena brasileira está posta. O desmantelamento da ação federal, seja pela sua ausência, seja pelo seu exagero descabido, deixa espaço para os outros poderes entrar e dominar. Os resultados desse processo são conhecidos na história brasileira: desprestígio dos índios na sociedade brasileira, pressões cada vez maiores sobre suas terras, intensificação do processo de inclusão e integração na sociedade brasileira. Só não vê quem não quer.

3 comentários:

Anônimo disse...

Efetivamente, um ponto para Maggi, em se tratando de exotismo, com todo respeito ao velho e simbolicamente poderoso cacique Raoni. Ponto também porque se lembrou de que existem índios em MT, quando teve de se apresentar ao mundo, representando pela FIFA. Quanto ao outro ponto abordado no "post", a estadualização das políticas públicas para e com os índios só vai ser ruim, se os apoiadores, estudiosos, e os próprios índios permitirem. É preciso "pacificar" os governos estaduais, e todos que conhecem da matéria devem participar. Abraço, Adriana

Cavalleiro disse...

Boa análise. Na mosca. Ontem fiquei deprimido vendo na TV o Raoni se prestando a tal papel.

Adalberto disse...

Os representantes dos povos indígenas não devem entender a extensão dessas manobras políticas da "boa visinhança".
O governador Blairo Maggi apresenta em público a "amizade e o exótico" e no sertão pratica a violência contra esses povos com as imensas plantações de soja e fomento às hidroelétricas, inclusive suas próprias, desrespeitando os procedimentos de licenciamento ambiental.
O pacto federativo promovido na época da Ministra Marina está funcionando e os povos indígenas sofrendo com isso.

 
Share