sábado, 20 de fevereiro de 2010

Índios petistas pedem mudança da Funai no 4º Congresso do PT


O 4º Congresso do PT se realizou nesses últimos três dias em Brasília, quando foram eleitos o novo presidente, o carioca-sergipano José Eduardo Dutra, e o novo Diretório Nacional de 81 membros com seus diretores e secretários. Todo esse evento está documentado no site do PT.

O auge do Congresso se deu neste sábado quando foi aclamada a ministra Dilma Rousseff como pré-candidata do PT para a presidência da República.

Nessa ocasião a ministra Dilma proferiu um equilibrado e sensível discurso, com citações dos poetas Carlos Drummond de Andrade e Mário Quintana, no qual prometeu lutar pela continuidade do projeto de desenvolvimento econômico com progresso social para o Brasil, aperfeiçoando e avançando em programas sociais e educacionais. Sem esquecer de citar os índios como parte do seu projeto de participação. Um belo e bem feito discurso, digno não só da tradição petista, mas, ouso dizer, da tradição getulista e brizolista, com verve e retórica poética de Darcy Ribeiro. Fiquei muito impressionado.

Como sempre, o Pres. Lula fez um discurso vigoroso, ao seu estilo, sem titubear, e demonstrando confiança de que, com a ajuda dos aliados, elegerá a ministra Dilma como sua sucessora.

Para a questão indígena brasileira atual o interessante foi a participação de um grupo de índios petistas, alguns dos quais tendo vindo como delegados de suas bases em seus municípios. Eles entraram no auditório e abriram duas grandes faixas com dizeres contra o decreto de reestruturação da Funai e pedindo a saída da cúpula da Funai, faixas estas posicionadas no palco em frente de 2.000 delegados, da imprensa, dos ministros da República e de todas as autoridades brasileiras e estrangeiras presentes.

Quando o Pres. Lula estava fazendo seu discurso, em dado momento foi interrompido pela voz de um dos índios presentes que gritava no auditório: “Presidente, fala com o índio!!!” Com isso o auditório inteiro, com mais de 2.000 delegados ecoou:

“Fala com o índio, Presidente!! Fala com o índio!!”

Lula ouviu o clamor, interrompeu seu discurso e disse, em frente a todos: “Podem deixar, eu sei de que vocês estão falando, vamos resolver isso essa semana!”

Aí o auditório se acalmou, os índios e aquietaram e o Pres. Lula prosseguiu com seu discurso.

Que será que Lula quis dizer com “Vamos resolver isso essa semana!” Quem adivinhar pode se servir do último pedaço de pudim na geladeira!

O grupo de índios que participou desse momento ficou vibrando de emoção e de esperança de que essa semana o Lula resolva de fato essa questão.

Mas esse grupo não se deu por satisfeito e, terminado o Congresso, se dirigiu aonde estava o próprio novo presidente do partido, José Eduardo Dutra, junto com o secretário Ricardo Simões e outros e explicou com todos os detalhes o que vem acontecendo na Funai e com a questão indígena brasileira e por que eles querem com tanta veemência a saída da atual direção da Funai.

Também esse mesmo grupo conversou diretamente com outras figuras importantes do partido, em especial José Dirceu, e com a governadora do estado do Pará, Ana Júlia Carepa.

A todos o grupo indígena petista disse o seguinte:

1. que o decreto de reestruturação estava acabando com a Funai, já combalida e precisando de reforço.
2. que era ilegal por infringir a Convenção 169, da OIT, e não ter consultado os índios na sua formulação
3. que extinguira 24 AERs, sem substitui-las e deixando centenas de milhares de índios ao deus dará.
4. que a extinção dos postos indígenas estava fragilizando a própria segurança dos índios em suas terras.
5. que a Funai estava tomada por um grupo não somente autoritário, mas ditatorial, que não escutava os índios nem tampouco os indigenistas tradicionais.
6. que, para a vergonha dos índios, a Funai estava sendo guardada pela Guarda Nacional, algo inédito no período democrático brasileiro, lembrando a todos dos tempos da ditadura militar e especialmente do tempo dos coronéis.
7. que, para a vergonha do PT, esse grupo se fiava no partido para sua continuidade.
8. que pediam para levar ao Pres. Lula o pedido de revogação desse decreto e a exoneração da cúpula da Funai.

Segundo o grupo de índios petistas, os membros do Diretório Nacional lhes disseram que iriam levar a questão diretamente ao novo ministro da Justiça para tomar providências.

E, sem mais dizer, o grupo de índios petistas saiu triunfante do 4º Congresso Nacional do PT!

66 comentários:

Anônimo disse...

Caro Mércio,

estou profundamente emocionada!!!
Finalmente o presidente Lula ouviu
os índios!!!

Após tantos dias de expectativa, de espera - uma notícia boa e com "sabor de pudim".
Bom final de semana!

Anônimo disse...

Meu prezado amigo mercio a justiça tarda mas não falha, eu tinha prevenido o Marcio Meira voce se estrepou agora, foi logo medir força com o senador Romero Jucá,Romero tem uma habilidde incrivel e não entra em um jogo para perder, agora Marcio só é uma questão de tempo. O desgaste politico foi muito grade, causado por sua equipe e logo hoje voce já não vai dormir direito eu lhe falei não falei.

Anônimo disse...

BRAVO! BRAVO! BRAVO! JÁ PODEMOS VISLUMBRAR UM OÁSIS NO MEIO DESSE ÁRDUO DESERTO!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Parabéns ao grupo de indígenas petistas presentes no 4º Congresso do PT, os argumentos expostos sobre a reestruturação da Funai são de grande importância. Hoje a única coisa que está funcionando em relação ao orgão são ás nomeações publicadas no Diário Oficial da União, mais pergunte aos funcionários da Funai,o que de fato esse maldito decreto planeja realmente melhorar o atendimentos das comunidades indígenas. Ás Coordenações estão sendo cobradas diáriamente pelos prestadores de serviços e fornecedores com contrato e sem contratos,alguns indígenas querem saber a quem a se dirigir enfim coisas dessas natureza, só sei de uma coisa esse decreto tem que ser revogado o mais breve possível, antes que pessoas pagem pelos erros dos outros. Esse modelo a ser implantado não vai funcionar, seus cabeças duras Márcio Meira e sua cúpula. Vocês não querem reconhecer mais sabem que o erro cometido na elaboração desse Decreto, fugiu muito da ansiedade das comunidades indígenas,dos servidores do orgão e dos indigenistas conhecedores da causa. Observando hoje esse decreto só veio para acabar a esperança,o pensamento, a alegria e o futuro de outras gerações indígenas. Obrigado

Anônimo disse...

Oi Mércio,

Todos duvidavam que os índios estavam parados e aceitando passivamente o Decreto 7.056, o Presidente só falava que Altamira os preocupava, porém eu que estou acompanhando a nível nacional os movimentos indígenas, reafirmo toda essa calmaria é sinal de tempestade. De uma forma ou de outra o Presidente teria que ouvir alguém, que bom que foi os índios, pois nós servidores somos apenas agitadores e manipuladores dos mesmos. Parabéns Parlamentares indígenas, estou orgulhosa de todos vocês. Já sabia desse movimento e espero surtir efeito. Se não houver, quem duvidar esperem o próximo passo. Estamos calado para não lhes dá tempo de reação. O melhor ataque com essa gestão da FUNAI é a surpresa. Se eles pensam que com conversa fiada e dinheirinho compraram os índios, enganam-se todos que assim o pensaram. Todos os índios a nível nacional estão a postos. O prazo previsto e calculado já está findando, não havendo qualquer resultado por estes dias. Que perdõem os cidadões brasileiros mais o nosso movimento virá a toda e com força total e atingirá muita gente. Estamos num movimento passivo, porém queremos ser ouvidos. Pernambuco, Porto Velho, Curitiba, Goiás e Rondônia, estamos forte que venham as demais regiões. Essa gestão da FUNAI tá com seus dias contados, não tenham dúvida. Eles vão aprender a nós respeitar e nos ouvir, espero que seja na Paz, também se não for, acontecerá do mesmo jeito. O nosso pacto continua de não votar no PT em todas as regiõs, enquanto não for revogado o Decreto. Pelo menos isso garanto-lhes eles vão sentir o peso do nosso movimento. Que venham a CNPI, CTI, ISA e demais ONG´s que apoiaram e defenderam esse Maldito decreto, Vamos passar por cima de tudo e de todos. Nação indígenas

Anônimo disse...

Dr. Mercio Pereira Gomes, voce é um baluarte em nossa vitoria, seu blog nota 10........ 10.0000 só temos a agradecer pelas informações e salvação de nossa instituição bravo Parabens congressitas do PT pelo maravilhoso coro em favor das causas indigenas.

Anônimo disse...

Amigo Mércio,

Gostaria de Saber se o Governador de Pernambuco participou desse Congresso? E qual foi a posição dele diante dos índios de Pernambuco? Pois até agora, nada foi comprovado do empenho desse senhor com relação as solicitações dos indígenas e servidores de PE. A falta de respeito desse para conosco foi total. Você acredita que nem mesmo a Assessoria de Comunicação desse homem, se dignou a responder as constantes solicitações de audiências. Nem pra dizer que infelizmente devido a vários compromissos desse homem, torna-se im´possível uma agenda no momento. Isso é que é uma grande e boa Assessoria. Quem precisa disso. Sérgio Goiana, Fernando Ferro, Paulo Rubéns e João Paulo que fim levaram? Estamos aguardando resultados ou um cumprimento dizendo que estão vivos. João Paulo você não disse que esse governador faria alguma coisa, só esqueceu de dizer que é para esperar deitado e em que data.

Anônimo disse...

Dr. Mércio, seu blog é o canal de nossa comunicação com notícias em tempo imediato! OBRIGADO!!!!!

Anônimo disse...

Gente pare de falar do nosso governo de Pernambuco, ora quem assinou o decreto foi o presidente Lula e não o Eduardo Campos estivemos falando com sua assessoria por varias vezes porém não se pode expor a derrubada de um decreto só porque nos atingiu em cheio temos que ter cautela assim como o Presidente Lula esta tendo. Não vamos esquecer que um dos nossos maiores parceiros é o Governador do Estado de Pernambuco como agente sempre fala a Funai entra com os indios e o governo do estado entra com o resto. porisso temos que respeitar as opiniões, note bem o decreto ainda não foi derrubado e nem modificado, todos teem que ser ouvidos para que haja uma solução condgna e que não venha ser mais uma vez prejudicado, e alguém venha sofrer com as modificações. portanto não é hora de criticarmos e sim esperarmos pelos resultados ainda não terminou. Defendo o governo do estado de pernambuco pois tenho participado com assessores que teem levado ao governador nossas preocupações não adianta ficar falando por total desconhecimento da causa.Como Pernambucano que sou pesso aos nossos colegas do governo que teem acompanhado pelo blog do Mercio Gomes que nos desculpe por estes comentarios infundados e que nossos colegas da funai não se deixe levar por estes comentarios absurdos.

Anônimo disse...

A chefe de gabinete entrou em licença médica!!!

Anônimo disse...

Com relação a comentário resposta sobre o Governo de Pernambuco, falo e afirmo sim, que até agora nada foi demonstrado pelo mesmo e que a Assessoria de Comunicação não respondeu as inúmeras solicitações de audiências reafirmo e comprovo isso, mesmo porque, tb envolvemos várias pessoas ligadas ao governo e nenhuma delas obtiveram sucessos, e continuo perguntando o que esse homem fez? até a carta que ficou de enviar ao LULA, deve ser muito singilosa pois ninguém teve acesso. E não estou criticando apenas constatando fatos. Que ele é parceiro da FUNAI, não discuto, pois os indígenas faz parte da população de de zonas de risco, e é papel do Estado efetuar projetos e efetivar melhorias nas áreas carantes e zonas rurais. Portanto, se ele fez algo pelos índios no tocante ao decreto, porque não se fez a olhos vistos como os demais governadores de outras regiões. Tanpouco estou contanto vitória antes do tempo, gosto do preto no branco, porém LULA deu sinal que escutou os diversos protestos, já é um bom sinal. Se fazer de mudo e surdo nunca foi estratégia. Por outro lado respeito as opiniões, porém não respeito omissões ou a estratégia de ficar em cima do muro com medo de se queimar. Se quem falou para parar de criticar o governo for servidor de Recife, acho que não está muito a par dos acontecimentos, ou deve ser petista alienada. Pois todos que estão na luta sabem que não tivemos qualquer pronunciamento desse senhor que foi uma pena. E falo com conhecimento de causa. E apesar de ser servidora da FUNAI de Recife, só paro de falar quando alguém me provar o que foi feito pelo mesmo. E outra coisa é falta grave e pouco ético a asessoria não se dignar a responder, mesmo sem a anuência de agendamento deveria responder dizendo simplesmente da impossibilidade, acho que não estou pedindo muito. Sou da área amigo(a). Também sei que foi LULA quem assinou o Decreto, não estou pedindo para ele assinar outro, apenas que se junte ou demonstre apoio a causa dos indígenas e servidores. E se ele é tão parceiro como você quer demonstrar deveria ter ao menos nos recebidos ou simplesmente mandado algum assessor ou um dos secretários, até mesmo a Secretaria de articulação telefonar para alguém da Sede Recife. Se alguém recebeu esse recado ou telefonema que me aponte um nome, pois todos os dias fazemos avaliação do movimento e sempre ouvi todos perguntarem sobre o governo, não vou agora jogar flores em quem nada demonstrou. Desculpe puxa saco tem limite e não gosto de cobrir o sol com peneira pois não faz efeito. Efeito pra mim é fazer e mostrar. Se ele fez algo, então não entendo tanto segredo. Tentamos publicar a carta desse governador e não foi possível o acesso a mesma. Respeito a opinião dos outros, portanto respeite a minha em duvidar dessa ajuda, só porque é parceiro. Continuo insistindo, cadê essa carta ou o que ele fez em relação a esse movimento, só por curiosidade. E nem sempre entramos apenas com os indios, entramos com servidores, carros, combustível. Essa idéia de que entramos apenas com índios a muito foi deixada pra traz, hoje sempre se entra com uma contra partida. Gostaria que a pessoa que defende tanto o governo, fizesse uma reunião com os servidores e explicasse porque em nenhuma delas falou ou mostrou sobre o empenho do governo em nossa luta. Uma boa oportunidade de fazer com que eu pare de perguntar sobre isso. Gostaria que esse documento fosse publicado a exemplo de todos os demais que enviados a esse blog. Como leitora do Blog e eleitora, gostaria muito de saber sobre isso, depois disso, escreverei a esse blog pedindo desculpas pelos comentários de cobrança. E tem mais ainda me identifico com todo o prazer. Assim a desculpas surtirá um maior efeito público. Boa Noite.

Anônimo disse...

como anda o placar agora?

Anônimo disse...

Eles, agora estão quase sentindo na pele o gostinho do que fizeram com a Estela Parnes, Waldira Barros, entre outros que aqui não quizeram aparecer com receio de represarias e com as comunidades indigenas.

Anônimo disse...

Olá,

será que a chefe de gabinete entrou mesmo com licença médica???
Estará doente? Ou é preocupação? Logo agora?

Estará ela tentando se eximir de suas responsabilidades diante da repercussão do nefasto decreto?
Terá coragem de deixar sozinho o presidente Márcio Meira num momento tão decisivo?
Pensou que nossos índios iriam ficar quietos, tentanto digerir a "receita do bolo" que lhes foi empurrada, imposta didatorialmente?

Terá agora que entender que o presidente Lula e 2.000 delegados que participaram do 4º Congresso do PT - "não gostaram da receita do bolo"!!!

Anônimo disse...

As Noticias Falam por si:

Tumulto entre segurança e indígenas causa confusão no Congresso do PT
20/02 - 12:14 - Ricardo Galhardo, enviado a Brasília



ImprimirEnviarCorrigirNotícias SMSFale ConoscoUm tumulto entre um segurança da Presidência da República e um grupo de índios militantes do PT causou confusão no encerramento do 4º Congresso do PT, em Brasília. O incidente aconteceu durante o discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

PT realiza evento de aclamação à pré-candidatura de Dilma à Presidência


Os indígenas protestavam contra um decreto que extinguiu postos da Fundação Nacional do Índio (Funai) e pediam a restituição do ex-presidente do órgão Marcio Meira. Antes do discurso do presidente, os índios protestavam: “Lula, índio quer falar”.

A confusão começou quando o grupo de índios entrou na área reservada à imprensa e um segurança decidiu barrar. A índia Lucia Munduruku, do Amazonas, e o pajé José João, foram barrados e tentaram passar a força.

Os índios que haviam passado sem problemas voltaram para resgatar o pajé e acusaram o segurança, que é negro, de racismo. O tumulto tirou o foco das pessoas que estavam no local e assistiam ao discurso de Lula, que enaltecia as qualidades da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Questionado por que decidiu barrar os dois índios, o segurança da Presidência respondeu que a área na qual eles queriam ficar era destinada somente à imprensa. No entanto, a reportagem constatou que a maioria das pessoas do local não era de veículos de comunicação.

Leia mais sobre Congresso do PT

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/02/20/tumulto+entre+seguranca+e+indigenas+causa+confusao+no+congresso+do+pt+9403468.html

SERA?!

Anônimo disse...

Entendo que é chegada a hora dos índios.
Vamos colocar na direção central os índios com capacidade para tal.
Presidente, Diretores e Procuradoria, comandada pelos indígenas.
É importante fazer um chamado para a questão indígena a nível nacional e, até mesmo internacional, como é feito em relação a preservação do meio ambiente.

Anônimo disse...

E agora Chica Picanço? E agora Socorro Brasil? E agora Rilder? Como vocês ficam diante deste novo momento que passam a viver. Irão ter coragem novamente de tentar colocar ilustres servidores para fora da FUNAI, coragem de gritar com servidores quase humilhando, como se estes fosse incapazes e de colocar índios para fora do prédio. Fico a imaginar qual será a reação de vocês quando a hora chegar irá sair sorrateiramente pela garagem com receio dos servidores “baterem palmas pelo serviço prestado” a FUNAI, cada um cativa o que merece? Às vezes precisamos reconhecer nossos erros e procurar concertar antes que o bolo fique solado. Muitas pessoas passaram na FUNAI, entre muitos ficaram a amizade, o respeito e admiração pelo dever cumprido. E entre muitos que também que passaram ficou o dito já vai tarde, ou melhor, antes sedo do que tarde pelo estrago ocasionado. Pensem antes para que não cometam os mesmos erros no futuro.

Anônimo disse...

“É hoje o dia da alegria, e a tristeza nem pode pensar em chegar….” Eba! Tá rolando nosso grito de carnaval, e quem não veio fantasiada de casa, se arrumou quando chegou, e claro, teve a galera que aproveitou pra dar os retoques finais

Anônimo disse...

Vai tarde
Luciano Benatti
Composição: Luciano Benatti
Hoje cedo eu acordei
Percebi que nao estava
Olhei logo na janela
Ela ja tava na estrada.
Com a mala na garupa
Em cima da égua branca
Só deu tempo de gritar
Vai embora sua potranca.

Ref.: vai embora ,vai embora
Vai embora ja vai tarde
Era tudo o que eu queria
Me livrar dessa furada.
Tu nao imagina o quanto
Esta tarde eu vou beber
Beber mesmo enchugar
Beber pra comemorar
Da mala que me livrei. ( bis )

Ela sempre reclamava
Da vida aqui no mato
Nunca teve satisfeita
Pegando duro na enchada.
Nao sabe o que é sofrer
Agora que ja se foi
Pode ir atráz de outro
Outro trouxa pra aguentar
Pra tua mala guardar
Que a tua enchada eu já quebrei.

Anônimo disse...

Jamais, em tempo algum como agora na Funai, mesmo nos momentos da ditadura, se viu um Chefe de Gabinete não receber os índios!!!

Moacir Melo disse...

Sou indigenista, e concordo plenamente que em breve a Funai seja entregue para muitos índios competentes que existem por todo Brasil, e que assumam as principais diretorias e presidência! Mas, acho que agora, com toda bagunça, confusão e rastro de destruição que o branco criou dentro do Õrgão, o que no presente momento é necessária, e a atuação rígida e experiente de alguém que já conduziu muito bem a Funai, e valorizou e respeitou o indigenismo. Creio que essa pessoa deveria atuar, por um certo período, como uma espécie de um competente e rígido INTERVENTOR, e preparar a gradativa e necessária transferência para os índios. Não posso me lembrar de outro nome, para efetuar esse grande passo em pról do indigenismo, que não seja o Dr. Mercio Pereira Gomes!!! Durante todo esse tempo fora da Funai, o mesmo sempre continuou ao lado do índio, defendendo, denunciando e publicando tudo que fosse de interesse do indigenismo!

Moacir Melo
Indigenista

Anônimo disse...

Essa gestão realmente é um desastre. Recapitulando até o mês dezembro/2009. Nesse período os dirigentes estão no Ministério do Planejamento a procura de recursos suplementares pra sanar débitos. Esses dirigentes estavam fazendo BOMBA. O presidente tirou recesso nunca vi isso antes e complementou com férias. Aluísio adoeceu e também saiu de férias. Auxiliadora, saiu de férias e ficou doente, Salete desapareceu. Tudo durante o trancorrer da BOMBA e depois que a soltaram, aíi sim a epidemia foi geral, pois todos desapareceram, nunca mais a Auxiliadora retornou. Até os demais dirigentes ficaram atendendo no MJ. Um dia teriam que retornar pra FUNAI. Não tiveram coragem de enfrentar as tormentas surgidas pós Decreto. Um bando de covarde. Nunca havia vistos gestores desaparecer e tirar recesso em período de final de ano, a casa ficou ao Deus dará e ainda se acham no direito de se sentir vítimas? É demais. Tudo na vida tem um preço. E tudo passa. E ainda existe a lei do retorno e vocês com certeza receberão em doblo. Toda calmaria é seguida de uma tempestade. A nossa tormenta vai passar e a de vocês dirigentes durará, pois apesar de dizerem que brasileiro tem memória curta, desta feita seus ficarão gravados na história dos IRRESPONSÁVEIS E INCOMPETENTES DO ANO. Não será fácil sair dessa e ir pra outro órgão de mala e cuia de cabeça erguida. Nunca mais terão créditos pra participar de um simples grupo trabalho, imeginem algo de tanta responsabilidade. O filme queimou. Auxíliadora ela já melhorou? Gostaria de saber? Pois nessa gestão é tanto subistituto do substituto que nos perdemos dos titulares. Falaram de você Mércio que só vivia viajando. No entanto essa gestão bateu o recorde, pois levinho teve um momento que achei que ele trabalhava em Brasília e o presidente no Pará e Rio.Teve período que a instituição estava entregue as baratas, todos os titulares em viagem no mesmo período e pasmem, os substitutos também, aí reapareceu a história do substituto do substituto. Só com essa gestão que essas coisas são normais e capaz. E nós que não queremos nada com a vida. Façam um levantmento dos recursos aplicados só em despesas de diárias dos gestores e como foi a aplicação dos recursos da assistência. E ainda se surtiram algum resultado ou mesmo se foi aplicado? Simples se foi implantado algum dos programas? É bom procurar saber. A coisa tá feia. Falar dos outros é fácil. Porque nunhum dos programas foram concluíndos apesar de tantas viagens para implantação? Eles tinham 3 salários, o de servidor se forem, o DAS e outro das diversas diárias que duvido havia necessidades. Pensem, pedir auditoria nas regionais é fácil, porque não começamos a fazê-la na sede? Vamos nessa.

Anônimo disse...

Caro Mércio,

Gostaria de chamar atenção para um fato agravante do Decreto e a falta de planejamentodo mesmo.
1- Quando da publicação sem anuência dos índios e conhecimento dos servidores e principalmente dos gestores regionais. Camo já sabiam disso, deveriam ao menos dá tempo as regionais de cumpriremm seus compromissos e não efetuarem outros. Muitas despesas ficaram em DEA.
2- Bloquearam todas as senhas das Unidades Gestoras sem um comunicado oficial em respeito aos Administradores, servidores, índios, fornecedores e parceiros;
3-Exoneram todos os cargos de Comissão e consequentemente dos substitutos, antes mesmo de subordinar a uma outra unidade;
4-Deixando as Unidades extintas a deriva, sem um responsável ou mesmo atribuindo a alguém a responsabilidade temporária nos andamentos dos trabalhos administrativos;
5- As unidades extintas tem o seu atendimento diário e seus planejamentos e ainda fatos emergenciais ocorrem em um piscar de olhos.Audiências são agendadas
Os trabalhos não podem sofre continuidade, porém quem recebe vai entregar a quem se não existem a figura de responsável?
6- As exonerações do todo deveria ser paulatinamente, a medida que e fossem fazendo a inclusão do novo sistema. A passagem de responsabilidade também deveria ser a medida que houvesse intregação da suprimidada pela suprida.
7- É uma agressão tanto pra servidores quanto para os índios e demais prestadores de serviços da extinta e da recém criada essa passagem tumutuada, sem uma prévia conversa e troca de informações. Já cria de início um bloqueo para rejeição. Será que ninguém pensou nisso?
8- Mesmo que fosse um bom Decreto ela teria que seguir normas legais, deveria haver uma interação, sem isso amigo, tudo é fadato ao fracasso.
9- Como se pode exigir boa vontade e respeito dos servidores quando não nenhuma para com eles envolvidos? como podemos dá continuidade de trabalhos se ele foi rompido drásticamente? Enquanto não se resolvem as alterações, quem respondem pela continuidade dos serviços?
10- Por fim, o Decreto foi desastroso do início, meio e fim. Houve uma ruptura em todos os sentidos o principio da administração e operacionalidade foi esquecido. Isso sim, demonstra a imcompetência de quem fizeram o Decreto, não houve planejamento para sua execução e continuidade. Pela demora não houve nem finalidade para as extinções e recém criadas. O estrago foi realizado, e tomou proporções inimagináveis, mesmo revogando o Decreto, vai ser difícil recuperar a dignidade, responsabilidade, continuidade, amor, interação e tantos outros que não vale a pena falar. Por fim, quanto mais tempo passa mais o estrago se avoluma, é bom tomarem medidas rápidas, antes que seja tarde demais para a recupeação do nome FUNAI e do papel do mesmo. Numa situação dessa quem fica solto leva desvantagem e assim são os índios os únicos prejudicados nessa história toda. Obrigada.

Anônimo disse...

Bom comentario. boa indicação para presidencia Mercio Meira desde que a Estela acompanhe esta futura equipe pela competencia não vejo melhor indicação para uma diretoria de assistencia. Gente eu estou somente dando minha opinião isto será com o Mercio Gomss. Obrigado pela condução da luta em favor das causas indigenas Sr Mercio.

Anônimo disse...

IMPEACHMENT NA FUNAI!!!!! MERCIO PEREIRA GOMES PRA PRESIDENCIA JÁ!!!!!! Conclamo para que todas lideranças indígenas remetam cartas para o ministro do MJ e Casa Civil, solicitando a imediata intervenção na FUNAI!
Fora Marcio Meira e seu bando JÁ!!!!

Anônimo disse...

Caros colegas de Brasilia voces viram o Marcio Meira no congresso do pt para lançamnto da candidatura da Dilma a prsidencia eu o procurei mas não o encontrei se alguém viu nos fale estou aguardando

Anônimo disse...

Notícia muito boa...

ENTRETANTO.......

No intransigente governo PT, só acredito vendo (infelizmente) !!!

Entre tanto atos de soberba do PT, durante o Governo Olívio do RS (1999/2003), o então Secretario de Justiça José Paulo Bisol instaurou o caos na área de segurança pública. Opinião pública, jornalistas, professores, formadores de opinião, enfim....uma aclamação geral por mudanças. Nada !!! Não escutaram ninguém !!! Mesmo assim, o tal secretário ficou até o último dia !!!!

Resultado: campanha para o governo seguinte, perdeu, para o outro, perdeu, prefeitura da capital gaúcha, perdeu. Resumindo, nunca mais o PT ganhará no RS e capital, graças a Olívio, Tarso e Cia Ltda...

Num estado que foi um dos “berços” do partido, hoje ocorre um fenômeno de anti-petismo crescente........

No governo Federal está acontecendo uma situação um pouco pior, haja vista que, aliada a intransigência e a soberba, paira um regime ditador, anti-democrático !!!!

Quanto a trocas na Funai, ainda mantenho ceticismo !!!

Mais sobre Bisol no governo: http://www.buscalegis.ufsc.br/revistas/index.php/buscalegis/article/viewFile/10688/10253

Anônimo disse...

Meus caros,

A manisfestação realizada por um grupo de índios no 4º Congresso do PT, foi positiva. A participação dos 2.000 delegados que apoiaram a manifestação, foi fundamental. Daí, o presidente Lula parou seu discurso e ouviu os índios, prometendo reavaliar o Decreto. E a repercussão gerou uma onda de otimismo e esperança!

Algumas pessoas, em seus comentários, fazem sugestões e admitem que urgentemente, a cúpula da atual FUNAI deve sair de imediato.

Não acho lógico, por 3 motivos:

1º) O ministro da Justiça, necessariamente, terá que se pronunciar e, segundo o comentário do proprietário do blog, isso somente ocorrerá dentro de uma ou semanas;

2º) Acho prematura a idéia de que deverá haver "trocas" de imediato em relação a presidência da FUNAI e seus colaboradores;

3º) O senhor Márcio Meira e sua famosa equipe precisará fazer, talvez por determinação do próprio Ministro da Justiça, todos os AJUSTES referente a reestruturação... Seria muito fácil sair e deixar a BATATA QUENTE nas mãos dos próximos novos indicados. É justo??? Certamente que não!

Que façam eles, todos eles, os consertos... Se ficarem a contento do Ministro da Justiça e atender às necessidades dos povos indígenas, dos seus servidores e instituição, aí sim, que venham as mudanças, as substituições! E vamos torcer para que as possíveis trocas não sejam "seis por meia dúzia"...

Boa semana para todos. Com ânimo e perseverança!!!

Vamos fazer um novo pudim, colocá-lo na geladeira e esperar o momento certo para degustá-lo!

Anônimo disse...

Caro Colega, concordo plenamente com a su colocação com relaçaõ a troca imdiata, pois assim seria uma intervenção, mas infelizmente o desfecho dos absurdos já foram realizados principlmente da ex-aministrações, onde todos os servidores tomaram a uma rajada de inceticidas e estão feito baratas doidas sem rumo certo não existe nada para ser feito é isto o que esta ocorrendo em todo o país com a nossa Funai, se o presidente na sua humildade chamar os ex- administradores e pegar todas as informações possiveis de como realmente se pode funcinar aí a cousa toma o rumo certo pois o estrago já foi feito como falei antes.Não devemos fazer com a equipe o que eles o fizeram conosco principalmente aqui no Recife,onde nos coloca abaixo de Maceió e deixa um jovem colega sem experiencia ainda com a responsabilidade de assumir um administração complicada sem preparar os ambientes de trabalho nos seus lugares falo isto que a Funai continua sem credibilidade na praça não por má administração e sim por parte de seus dirigentes aí em Brasilia, que da continuidade a erros passados e culpa as administrações presentes. Portanto que a saída dos atuais dirigentes não seja imediata mas que seja acompanhda por servidores com larga experiencia na area administrativa. Remos em Recife a propria Estela Parnes, que poderia quem sabe reprsentar o Nordeste , junto com o Petronio que foi exemplar em sua administração companhado de ex administradores com o Paulo Fernado, Moacir Santos , o Rangel e outros que se fizerem necessario. Quero lembrar á todos que não sero uma intervenção na Funai, pois tenho o maior respeito pelo Sr. Marcio Meira, não é ora de contarmos vitoria e sim de respeitar os colegas que pecaram por desconhecimento das causas indigenas. Isto ´apenas uma sujestão.

Anônimo disse...

Muito bem escrito e bem detalhada a análise acima, e em parte concordo..., mas... O ATUAL QUADRO CRÍTICO EM QUE SEN ENCONTRA A FUNAI, URGE UMA TROCA E MUDANÇA IMEDIATA!
Acho que, igual quando encontramos uma batata ou laranja podre no meio das outras, a mesma deve ser retirada de imediato para que o estrago não seja ainda maior...., Portanto, creio que agora mesmo a troca da atual equipe, será melhor e terá caráter preventivo. Uma nova administração, terá transtornos grandes sim, para reparar todo o estrago já feito mas, também, não tem sentido manter a atual ainda na contramão de tudo que é claro, óbvio e certo ao andamento do bom indigenismo que ainda existe e resiste, embora os membros da atual equipe estejam, por todas as formas e meios, tentado aniquila-lo!
Dr. Mercio Gomes, com toda sua experiência e conhecimento, em pouco tempo e apôio estratégico e político, terá condições sim, nesse período de transição, de retornar a Funai a condição ideal, e nos padrões do indigenismo original de Rondon, que, quer queiram ou não, AINDA VIVE E RESISTE!

Blog do Walfredo disse...

Ok amigos.
Estamos vivendo um bom momento mas, ainda é cedo para comemorar.
A casa está totalmente desarrumada e precisa de alguém com capacidade suficiente para varrer o lixo que se acumulou. Precisa ter coragem para enfrentar velhas oligarquias da FUNAI e escutar os indios com paciência e aproveitar suas idéias para termos finalmente uma FUNAI dos índios.

Caetaneando disse...

Oi Mércio, bom dia!

Realmente foi uma vitória triunfante do grupo de indígenas que estiveram no congresso do PT. Se Lula cumpre as promessas, terá que ouvir realmente os índios e JÁ.

Acho que ( ... antes tarde do que nunca...)esta semana, novas luzes irão brilhar no fim do túnel e a insanidade do decreto será remediada. Será que a turma da confusão do decreto previram a m... que estavam fazendo?

Os índios daqui ( 10 etnias )estão ocupando pacificamente a FUNAI há mais de 10 dias. Conseguimos sensibilizar á AGU para não cumprir um mandando de reintegração de posse que havia sido pedido pela cúpula insensível da FUNAI. Afinal de contas, o movimento indígena local é pacífico e JUSTO.

No sábado, uma comissão de 18 índios seguiram para Brasília para "conversar" com o presidente. Chegaram no domingo. Vão insistir para que não haja a extinção da FUNAI aqui em Altamira. Dois auxiliares da presidência já estiveram aqui em Altamira, tentando justificar o injustificável para os índios. Não deu certo. Vamos ver agora.

Acho e espero que o presidente realmente resolva esta questão nesta semana. E com a seriedade e rigor que a questão merece. O estrago causado pela insensibilidade e estrelismo da cúpula da FUNAI é enorme e merece uma punição para os culpados. Que seja agora.

Continuemos a luta!

Anônimo disse...

O Lula devia tirar o Márcio Meira e junto com ele o seu bando! Principalmente os DAS'S da comunicação. Esses estão preocupados apenas em fazer nome com os trabalhos das outras coordenações, principalmente com o "protagonismo indígena", expessão que a gaúcha "toda poderosa" adora soar! Coordanação de mediocres! Usurpadores do dinheiro público! Pior assessoria de comunicação. A imprensa está consternada. Eles não sabem de nada do que acontece na própria Funai e botam banca de ancoras da BBC. Xô cambada!

Anônimo disse...

Todos estamos na esperança de dias melhores, sejam eles com decreto ou sem decreto, mas sejam eles realmente sem esta corja que ai se encontra instalada o qual ocasionaram toda esta problematica dentro da FUNAI.

Anônimo disse...

22/02/2010 - 17h18
Índios guajajaras interditam ferrovia da Vale no Maranhão
Lisiane Wandscheer
Da Agência Brasil
Em Brasília

Cerca de 50 índios guajajaras, da terra indígena Caru, interditaram na manhã de hoje ( 22) um trecho no km 289 da estrada de Ferro Carajás, pertencente à empresa Vale, no município de Alto Alegre do Pindaré, a 340 quilômetros de São Luís (MA).

De acordo com nota distribuída pela Vale, no momento todas as ferrovias da estrada de ferro estão paralisadas. O trem teve a sua viagem interrompida, e os passageiros serão transportados de volta a São Luís. A empresa informa também que tomará as medidas necessárias para que as operações sejam normalizadas o mais rápido possível.

A unidade da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Imperatriz do Maranhão, próxima ao local, disse que a Vale enviou documento avisando sobre a interdição, mas não dispõe de mais informações sobre o motivo da ação dos índios.

Anônimo disse...

Lucina/Comunicação + Salete/ Gabinete = arrogância, petulância, autoritarismo, antipatia, discriminação, levianismo, mediocres, etc, etc, etc.....

Anônimo disse...

PLACAR ATUAL


Presidente Lula recebeu documentos dos índios e Arcebispo em Goiania
=> combinado 22 x 23 indigenismo

Índios revertem substituição do dirigente de Manaus
=> combinado 22 x 24 indigenismo

Colegas do Recife foram destratadas
por pelegos em Brasília
=> combinado 23 x 24 indigenismo

Presidente Lula deu ouvido aos índios no Congresso do PT
=> combinado 23 x 25 indigenismo

Anônimo disse...

Que venha intervenção ou mudanças radicais. Para o caos que se instalou não se pode tomar medida paliativa a médio e longo prazo. Mudança URGE e tem que ser com a saída desses gestores. Mesmo porque não existe a menor possibilidade de se readquirir o respeito e a confiança perdida por todos os servidores e índios a nível nacional.

Como se pode trabalhar num clima de insegurança e de instabilidade total. Qual a segurança deles em se trabalhar em uma terra indígena será que os indígenas ainda confiarão nas palavras e compromissos desses gestores? E ainda qual o respeito e liderança que essa gestão detém com relação aos servidores futuramente? Tudo que venha a surtir resultados negativos alguém levará a culpa e com certeza serão creditados para os servidores que não concordaram com o Decreto. Como continuar a trabalhar num clima de frieza? Como se ter prazer em efetuar qualquer planejamento? Como se ter segurança no trabalho, se no momento somos apenas meros cobaia vivos da experiência desses gestores? Se entre eles mesmos não existem segurança, pois um diz uma coisa o outro vem e diz outra, é só questão de virar as costas e pelo que eu saiba ainda não existem servidores doídos na FUNAI, a não esses malfadados gestores.

Que conheço apenas esses são os loucos que se acham os vitoriosos e os defensores de um moderno indigenismo e não de um novo modelo de radicalismo.

Todo psicopata é imbuindo de um intuito ou objetivo, esses psicopatas são imbuídos do sabor da destruição. E o pior quem consegue seguidores para essa loucura.

Espero que o LULA e o novo Ministro seja agora o GADERNAL deles e os coloquem no hospício ou em outro lugar qualquer, porém longe da FUNAI. Aqui não tem lugar pra doídos.

Se eles são tão bons em planejamento e reestruturação, que os levem pra outros ministérios ou mesmo para o palácio. Que Deus os livres dos estragos que ele fará com a casa de vocês, pois o estrago maior do que fez na FUNAI, vai ser difícil retomar, principalmente politicamente. Que vença a SANIDADE e que reine a PAZ.
O BEM SEMPRE VENCERÁ, MAIS CEDO OU MAIS TARDE.

Anônimo disse...

Caros amigos,

A paciência deverá ser o melhor caminho para a espera... Além das manisfestações por parte dos índios de diversas regiões, de servidores, de algumas autoridades interessadas na revogação do Decreto ou, pelo menos, que seja revista a reestruturação, tivemos o ato impactante de alguns índios, no 4º Congresso do PT.

O presidente Lula, publicamente, fez uma promessa para tentar resolver a questão, colocando à disposição do Ministro da Justiça a responsabilidade para tomar as providências cabíveis. Eu acredito que o senhor Ministro terá bastante tranquilidade para resolver o impasse que foi gerado pela presidência da FUNAI e seus assessores.

Esperemos. E veremos... A pressão é forte e vai levar para lugares bem distantes todos eles, os autores, que se perderam no caminho de uma reestruturação que não deu certo, que não vai dar certo e nem resolver os problemas e as demandas dos povos indígenas, da FUNAI enquanto instituição e seus servidores. O prejuízo é grande. A insatisfação é visível... mas os estragos poderão ser corrigidos. Eu aposto!!! E o Mércio que tem sido o "guardião da FUNAI" - será o convidado especial para provar do PUDIM QUE ESTÁ NA GELADEIRA!!!

Anônimo disse...

Cinema
Suicídio entre jovens indígenas é tema de curta-metragem
Os casos de suicídio entre jovens indígenas do Norte do País por consumo de substâncias alcoólicas são assuntos que sempre intrigaram o produtor audiovisual Sérgio Andrade, que sempre acompanhou as notícias relacionadas a essas situações com curiosidade e atenção. Por conta disso, resolveu criar um roteiro livremente baseado na questão social. O projeto, que dará vida a um curta-metragem chamado “Cachoeira”, foi um dos 20 contemplados pelo Edital de Curta-Metragem dos Gêneros Ficção e Documentário em 35mm do Ministério da Cultura e começa a ser gravado no final do mês de abril, em Presidente Figueiredo.
Durante pesquisa, Sérgio conta que teve acesso a informações jurídicas e jornalísticas sobre um caso que aconteceu em uma comunidade no município de São Gabriel da Cachoeira, distante 852 quilômetros de Manaus. “Mas meu roteiro apenas se utiliza desses dados reais para compor um mosaico fictício em que o tema é proposto de maneira instigante e provocadora”, diz. Para ele, o assunto é interessante pois implica vários universos culturais do branco, índio e misticismo. “Parece que, num sentido figurado, quando eles misturam cachaça, cigarro, mandioca fermentada e até acetona, eles estão misturando uma grande confusão sociocultural”.
Seleção
Para compor o elenco do curta, a produtora Soraya Freitas selecionou indígenas que já trabalharam em produções de filmes e televisão. “Eles são autênticos indígenas, falam os dialetos e já tiveram experiência com audiovisual. Participei de um dos testes e estou impressionado com a carga interpretativa e estética deles”, declara o diretor.
Sérgio comenta que os atores já estão em fase de ensaios. “Tive uma grande satisfação quando iniciei os ensaios com o elenco indígena - entre eles ticunas, tarianos e dessanas - quando pude ver o quanto o roteiro reflete mesmo a realidade social de algumas comunidades”, afirma. “Os índios ficaram envolvidos e interessados em contribuir para uma obra que apresenta essa parte da situação indígena hoje”.
Atores
Anderson Araújo, Anderson Peixoto, Osmar Moreira, Severiano Kedassere e Raimundo Kissibe foram os indígenas selecionados para participar do filme. Além deles, o elenco contará com a atriz Maíra Chasseraux. “Maíra é uma atriz que está começando a ter reconhecimento no cinema brasileiro e traz mais projeção e profissionalismo ao filme”, informa Sérgio. Ele adianta que após a atriz terminar as gravações do novo filme de Selton Mello, “Filme de Estrada”, virá para Manaus. No curta Maíra fará par com ator amazonense Begê Muniz. “Ela se enquadra bem no papel de jovem mestiça indígena e topou ter um cachê igual ao dos outros atores amazonenses. Sempre planejei fazer um filme com ela, é como o diretor que tem uma atriz de preferência”.
Detalhes
O diretor adianta que o curta-metragem será gravado na Cachoeira do Santuário, a qual a administração se mostrou muito interessada em apoiar a produção. “Outro local seria a Cachoeira de Santa Claudia, mas estamos a espera da resposta deles, lá também seria perfeito”.
No filme, os suicídios acontecem na cachoeira, o que, segundo Sérgio, torna tudo mais complicado tecnicamente e até perigoso. “Para gravar certos trechos, teremos apoio de profissionais de rapel. Está tudo bem amarradinho”, explica.
Para Sérgio Andrade, o filme deve levantar uma reflexão sobre estas questões sociais. “Mas sou um diretor da corrente dos que acham que um filme tem signos que trabalham por si só. Além de passarem uma mensagem de proveito também tem uma liberdade estética a ser absorvida pelo público”, finaliza.
Informações do A Crítica - Manaus (AM)

Anônimo disse...

22/02/2010 - 19h37
Índios guajajaras desocupam ferrovia da Vale no Maranhão
Publicidade
da Folha Online

Índios guajajaras desocuparam na tarde desta segunda-feira, após 10 horas de bloqueio, a ferrovia Carajás, da Vale, no município de Alto Alegre do Pindaré, a 340 km de São Luís (MA).

A Vale informa que a Justiça Federal concedeu liminar de reintegração de posse do trecho (km 289) ocupado.

Durante o dia, a interdição obrigou a Vale a paralisar suas operações. Os índios alegam que a Funai (Fundação Nacional do Índio) não vinha entregando materiais agrícolas desde dezembro de 2009, apesar de a Vale ter feito integralmente o repasse dos recursos, conforme previsto no acordo de cooperação com a fundação.

Por causa da interdição, os usuários do trem de passageiros que partiram de São Luís na manhã de hoje tiveram que seguir viagem em ônibus fretados a partir da estação de Santa Inês.

A reportagem não conseguiu contato com a Funai para comentar o assunto.

Anônimo disse...

BARRADOS NO BAILE
No meio do discurso de Lula, um grupo de índios foi impedido por seguranças de entrar em uma área lateral do centro de convenções. O bafafá foi tanto que o presidente chegou a fazer uma pausa na fala, mas acabou desistindo de interceder. Os seis índios acabaram vencendo.

Anônimo disse...

viram o Projeto de Decreto Legislativo 2393/10, de autoria do Deputado Luis Carlos Hauly (PSDB/PR); Se o Marcio Meira se segurar depois dessa, pode cocorrer a Presidencia no lugar da Dilma.

Caetaneando disse...

Oi pessoal, bom dia!

O documento abaixo, aumentam as nossas esperanças de revisão da insanidade cometida pela "gang do Márcio Meira".

Vamos aguardar.

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 2.393, DE 2010
(Do Sr. Luiz Carlos Hauly)


Susta os efeitos do Decreto nº 7.056 de 28 de dezembro de 2009.

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Art. 1o Ficam sustados todos os efeitos do Decreto nº 7.056 de 28 de dezembro de 2009, que “Aprova o Estatuto e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas da Fundação Nacional do Índio - FUNAI, e dá outras ”.
Art. 2º Este Decreto Legislativo entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICAÇÃO


O Decreto nº 7.056 de 28 de dezembro de 2009 provocou uma profunda alteração na estrutura organizacional da FUNAI, sobretudo com a extinção de Administrações Regionais em diversas unidades da federação, sobretudo no estado do Paraná.

Além disso, em detrimento do princípio da equidade de tratamento entre as unidades da federação, estados com menor número de índios foram contemplados com uma maior estrutura administrativa.

Além disso, nos termos da Convenção nº 169 da Organização Internacional do Trabalho-OIT, no seu artigo sexto, há necessidade de consulta prévia aos povos indígenas interessados acerca de alterações na estrutura administrativa dos órgãos responsáveis pelas políticas e programas que lhes são concernentes.
Assim, a presente medida visa a defender os interesses dos indígenas e assegurar que seus direitos previstos na Constituição Federal e Convenções Internacionais sejam garantidos.

Sala das Sessões, em 2 de fevereiro de 2010.

LUIZ CARLOS HAULY
Deputado Federal (PSDB - PR)

Anônimo disse...

Megaron Txukarramãe, juntamente com outras lideranças do Xingu e do Pará, foi para Brasília entregar para o ministro do MJ e Lula, uma carta de protesto contra o decreto, inclusive exigindo transformações na Funai, e a mesma foi assinada pelas principais lideranças.

Anônimo disse...

ou o mércio é índio , ou é petista, ou deu a lista de pontos...????

Anônimo disse...

Atenção Leitores e Verdadeiros Amigos dos Povos Indígenas:


A anomalia que atende por nome de márcio meira está convocando a cnpi (comissão nacional de pelegos indígenas) para pedir apoio a mesma para evitar a futura queda dele e da sórdida equipe do mesmo.

Os índios do Brasil devem compreender que a cnpi são pelegos e dissimulados, venderam suas almas a troco de passagem de avião, diarinhas e hotel no plano piloto. Típico de quem se vende por esmola e típico dos piores maú- caráter da história.

Abração!

Anônimo disse...

Para conhecimento, eles, estão mais firme a cada dia que passa, pelo andar da carroagem os mesmo só irão sair com o fim do Governo Lula ou seja Janeiro de 2011.
Abraços

Anônimo disse...

Uma grande maioria de Administradores estão em Brasilia com para apoiar os trabalhos da atual gestão

Anônimo disse...

Política realmente e isso ai, corremos, corremos e morremos na praia.

Anônimo disse...

... mas é claro..., a grande maioria dos atuais administradores que estão em Brasília para apoiar os trabalhos da atual gestão,foram colocados pela mesma!!!!

Anônimo disse...

Já foi comentado neste blog sobre a intransigência dos “donos da verdade” petistas.
Não acreditam e querem “pagar para ver” .
O preço é alto.

Profecia: O PT vai perder as eleições por causa da Funai !!!!

Anônimo disse...

Não há mais espaço para colocar “panos quentes” na atual conjuntura governamental irresponsável !!!!

O PT de Lula manteve o ex-“ARENA” (para que lembra dos tempos bipartidários) Sarney na presidência do Senado para ser aliado da Dilma, além da Roseana, do Collor e demais membros da orda que, desde sempre, usurpam o patrimônio público à custa da desgraça dos brasileiros que recebem em troca: aposentadoria miserável e provisória para idosos, bolsa disso e daquilo, vale gás, vale uma TV, vale uma geladeira.....);

O PT de Lula deu funções comissionadas para todas as lideranças e nomes de expressão dos movimentos sociais brasileiros, de forma que foram reduzidos a nada (sindicatos, MST, etc).

O PT de Lula vai manter o seu “testa de ferro” - General Custer Márcio Meira - até dia 31 de dezembro de 2010 para completar o ciclo destrutivo dos Povos Indígenas;

Eu não sou PT e vc?

Anônimo disse...

Eu não sou PT!
Lula sabe que muitos indigenistas e índios são petistas e inclusive eleitores, portanto, ele deve considerar isso. Complementanto o que disse o amigo anterior, ele deve levar em consideração isso: Funai pode lhe dar milhares de votos ou, simplesmente quase NENHUM !!!

Anônimo disse...

Vamos abrir os olhos, equanto estamos discutindo se Lula ira ou não perde as eleiçoes o DR Marcio ganha terreno e nos perdemos o foco.
Veja os estragos que ja provocaram na Sede, a CGART foi dizimada e sem volta.

Anônimo disse...

A esperança é a última que morre, será?

Anônimo disse...

Aqui no nosso estado(Maranhão), ás coisas não é diferente veja porque: Quando foi publicado no D.O.U., o decreto 7.056 de Dezembro de 2009, o Sindsep-ma, simplesmente colocou no seu Jornal/informativo, somente falando a respeito do dito decreto, mais em nenhum momento repúdiou uma nota de protesto pelo fechamento da Sede da Funai de São Luís-MA,em apoio aos servidores da Funai filiados. Claro que isso jamais vai acontecer, O Sr. WASHINGTON LUIZ-PT,hoje parlamentar mais ainda com relações profundas dentro do SINDSEP-MA, com ligações com outros políticos que estão mandando a nível local, por sua vez indicaram uma pessoa sem a minima condição de gerenciar a Funai de São Luís-MA, por sua vez por não ter conhecimentos tanto com o trato com os indígenas e servidores e por muitas vezes Administrava a FUNAI através do telefone celular do orgão no leito de um hospital, por problemas crônicos de saúde,mais bastava a mesma manter contatos com a FUNAI/CENTRAL,fazendo seu jogo de faz de conta que estou trabalhando,passou quase três anos recebendo um bom salário,viajou e recebeu diárias, e só saiu porque o decreto fez com que ela fosse exonerada do cargo, mais isso não fez com que deixasse de ter privilégios pelo orgão. como disse antes a questão hoje dentro da FUNAI, não é lutar pela causa indígena, é simplesmente política partidária. Por ser ligada ao PT de São Luís-MA, pronto o que vale hoje é fazer parte do meios politicos, o resto não tem importância. Pouco importa para ela se a Sede da Funai de São Luís-MA, fechou, á mesma nunca disse o que veio fazer,segundo dissem alguns servidores quando ela aparecia na Administração,ficava trancada no seu gabinete,e se por ventura aparecesse algum indígena para falar com a mesma, pode tempo para ser atendido. Agora para acabar de vez, será que a Sede da Funai de São Luís-ma, configurou como ADMINISTRAÇÃO EXTINTA só por causa do Decreto ou será por vingança de algúem.(Será que está difícil saber a resposta), Obrigado.

Anônimo disse...

Um episódio que deve ser lembrado pelos índios de como os petistas e sua figura máxima são mentirosos, trapaceiros e desonrados.

Anônimo disse...

Mércio,

Não se esqueça de que um pequeno grupo de servidores e representantes so Sindsep-DF estiveram presentes juntamente com os índios no 4º Congresso do PT e nas audiências públicas promovidas pelas Comissões de Direitos Humanos do Senado e pela Comissão do Trabalho e Admin istração pública na Camara Federal.
Os servidores que participaram de tais atos e apoiaram o Acampamento Indigena Revolucionário foram perseguidos e estão respondendo processos administrativos. É bom lembrar disto!

Mércio P. Gomes disse...

Caro Anônimo, não me esqueço não. Aliás, essa postagem é para relembrar as enganações que os índios e funcionários sofreram de todos os escalões do governo, nos últimos cinco anos, cujo resultado é essa crise que hoje acomete a Funai com tanta intensidade. É para não deixar a história se repetir, não deixar a Funai ficar inerme e passiva e assim permitir que conspurquem sua honra mais uma vez. Que servidores e índios se unam para desbaratar essa política indigenisa insana que vêm implantando há cinco anos. Abs,Mércio

Anônimo disse...

MÉRCIO,

O DECRETO 7778/2012, cria na Funai a Coordenação Geral de Licenciamento Ambiental e aloca definitivamente na referida coordenação cargos de DAS 4 disponibilizados temporariamente no inicio da gestão Marcio Meira em detrimento dos experientes técnicos que já atuavam ( na CGPIMA) no monitoramento dos processos de Licenciamento Ambiental.
Os agraciados com os mencionados cargos eram amigos dos amigos, membros, colaboradores, advindos das Ong's CTI,ISA,OPAN e outras, com experiências inferiores, regionalmente limitadas, se comparadas com com a atuação dos técnicos do quadro efetivo da Funai que foram expulsos da então coordenação de meio ambiente.
Um desses agraciados disponibilizava através de Solicitação de Provisionamento Orçamentário - SPO, recursos orçamentários para a sua organização de origem. ( CTI/FRUTOS DO CERRADO) Basta investigar. Os técnicos antigos da refrida coordenação bem sabem disso.
Agora a Funai que não é um órgão licenciador, atua junto ao Ibama, apenas como parecerista, cria uma Coordenação Geral de Licenciamento. É brincadeira.
Segundo a carta da presidente Marta Azevedo, apresentada hoje aos servidores no Auditório da Funai além dos cargos de DAS efetivados na dita Coordenação de Licenciamento, outros mais foram alocados na presidência do órgão, da mesma forma, para atuar nos processos de licenciamento ambiental das obras do PAC II. Que visível redundância para flagrantemente aprovar os empreendimentos que afetam às Terras Indígenas e sua população?
Como podemos observar, o decreto editado, além de infrigir nos mesmos erros do decreto anterior, 7056/2009, já revogado, somente torna mais confusa a situação da Funai, dos índios e dos servidores do quadro efetivo.
Ao que tudo indica os apadrinhados da gestão Marcio Meira, continuam em detrimento da valorização dos servidores do quadro, técnicos especializados com um considerável acúmulo de experiência na questão indígena/ambiental.
A presidente da fundação nem teve a coragem de comparecer ao auditório para prestar esclarecimentos solicitados pelos servidores presentes, mandou uma assessora de recados, que nem entrou no auditório, entregar a tal carta.
A carta reforça os mesmos argumentos da gestão Márcio Meira quando editou o maldito decreto 7056/2009. Apesar de demonstrar claramente o desmonte do órgão indigenista, insiste em bradar retoricamente que está reforçando a Funai. Que absurdo!

Anônimo disse...

Mércio,

A gestão Marta Azevedo, tal como a gestão Márcio Meira se recusa a dialogar com os servidores, é o que ficou bem claro durante a reunião realizada hoje no auditório da Funai.
O Decreto 7778/2009, assim como, o Decreto 7056/2009, não foi elaborado através de consultas aos índios e aos servidores como preconiza as Convenções 151 e 169 da Organização Internacional do Trabalho-OIT, da qual o Brasil é signatário. Para os índios, durante o governo petista tudo vai de mal a pior cada dia mais...

Anônimo disse...

É verdade! continua a falta de dialogo e o desmando administrativo na Funai.Permanecem os mesmos ranços da desastrada gestão Márcio Meira.

Anônimo disse...

A história se repete na Funai: falta de dialogo da direção para com índios e funcionários e mais cargos comissionados para os amigos dos amigos. Só gente de fora, para os servidores da casa, persiguição, degredo e infindáveis processos administrativos.

Anônimo disse...

o amigo postante das 01:27 - temos que denunciar esta situação ao MPF, seria legal se os proprios indios com apoio dos servidores em seus respectivos estados procurassem as Procuradorias do MPF e denunciarem, pois os indios nao foram ouvidos na edição desse Decreto, assim como do anterior, isso colocaria o MPF numa sinuca de bico e o mesmo sera obrigado a agir em face das ilegalidades e inconstitucionalidade do aludido Decreto. vamos a luta com urgencia

SALVAÇÃO

Anônimo disse...

Que a Ansef e o Sindsep ouçam e observem essa necessidade de denunciar e entrar em juizo diante do desrespeito as as Convenções 151 e 169 da OIT e do desmantelo por que passa a Funai em função desses dois últimos inconstitucionais decretos.

 
Share