segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Indigenista Waldira Barros fala do seu constrangimento de ser barrada na Funai

Esta semana que se passou uma comitiva de Pernambuco veio a Funai para conversar com a cúpula do órgão sobre o malfazejo decreto de reestruturação. A comissão esperava convencer a cúpula do seu erro e ajudá-la na revogação, se não revisão do mesmo.

Qual o quê!

Pernambuco e Paraíba foram os primeiros dois estados que se rebelaram contra o tal decreto. Mais de 400 índios desses dois estados estiveram em Brasília e tomaram a Funai por uma semana, na primeira quinzena de janeiro. Porém, sentindo que não conseguiriam resolver a questão de imediato e com dificuldades para permanecer em Brasília, após algumas conversas com a cúpula da Funai, terminaram voltando para suas terras, sem nenhuma promessa de revogação do decreto ou de sua revisão.

Bem, os funcionários de Recife continuaram na luta, com o apoio dos índios retornados, que, segundo o que dizem, não desistiram da luta de revogar o decreto.

Na chegada das três funcionárias ao prédio da Funai, na terça-feira passada, elas foram barradas duas vezes pela Guarda Nacional, que continua de plantão na porta da Funai não deixando ninguém entrar que não tenha um assunto direto a tratar com algum funcionário. Mesmo que essa pessoa seja funcionário do órgão, ou, ainda mais inacreditável, um índio.

Índio barrado na entrada da Funai??? Eis a situação do órgão indigenista sob a atual direção.

Waldira Barros era uma dessas três pessoas que vieram na comissão de Recife. Ela e Estela Parnes, ex-administradora da extinta AER Recife, foram barradas na portaria. Mostraram suas carteiras funcionais. Nada. Um funcionário novato, ligado à cúpula, disse: "Manda elas lerem a portaria do presidente da Funai!!" Depois de conseguir entrar, pela intervenção de um funcionário vetereno que as conhecia, as duas tiveram uma estranha conversa com uma recém-contratada funcionária que foi nomeada para o setor financeiro. Lá as duas foram destratadas e ganharam a petulante sugestão de que saíssem da Funai se não estivessem gostando do decreto.

A frase proferida pela tal funcionária lembra o tempo da ditadura militar que usava um dos slogans mais cretinos da época. Qual seja:

"Brasil: Ame-o ou deixe-o!"

A nova frase parece ser: "Decreto de reestruturação: Aceite-o ou saia da Funai!"

Isto é inaceitável moralmente e revoltante sobre qualquer ponto de vista.

Eis a mensagem enviada ao Blog via email:

________________________


Oi Mércio, 

Gostaria que este depoimento fosse lido por todos os servidores. Se ajudar de alguma coisa, para que todos levatem a cabeça e se orgulhem pelo que foi efetuado até hoje em nome dos índios.
A situação foi bastante humilhante. Convidadas pelo presidente para uma reunião, tínhamos realmente muita coisa a ser conversado e apresentado. Porém, não passamos apenas por esse.
No primeiro dia, estivemos em reunião com as coordenadoras Francisca Picanço e a Socorro Brasil. Todos sabem que não levo desaforos para casa, os problemas poderiam tirar a concentração do foco. Fomos totalmente desarmadas, pensando na situação dos índios, servidores, fornecedores e parceiros. 

Após alguns questionamentos, fui surpreendida com uma resposta atrevida da senhora Chica Picanço - “caso não concordasse com a situação, que saísse da FUNAI”.  Tentei me controlar e manter a linha, foi em vão. Respondi: “Você me tenha respeito, não sou nenhuma novata na FUNAI, tenho trabalho reconhecido nacionalmente, e mais de vinte anos de casa”. Percebi que era um amortecimento para a conversa principal. 

Se nós servidores somos tratados desse modo, coitados dos índios. Quer falta de respeito maior do que esse Decreto? Quiseram separar o trigo do joio, fala do Presidente,  porém colocaram todos no liquidificador e jogaram em um buraco de lama, qual um bandido. Esqueceram todos os trabalhos realizados, será que valeu a pena tanto esforço e trabalho fora do horário? A punição foi na mesma proporção. E olha que não estamos brigando por DAS e sim por uma explicação e um entendimento. 
Fiquei triste, quase não se vê na instituição os nossos colegas de trabalho. Senti-me uma estranha na minha própria casa. Esse fato ocorrido na portaria, na frente de colegas, o constrangimento foi maior somando aos demais expectadores - seguranças e policial da Força Nacional. Naquela hora tive dúvidas se valia a pena tudo aquilo, o estrago já estava feito. 

Não bastando, no outro dia, ocorreu de novo o fato, desta vez, sem justificativa, estávamos em horário de expediente. Ao sair de Recife, esperava no mínimo respeito enquanto servidora. Ao mostrar a carteira funcional o descaso foi tanto que senti vergonha de entrar na instituição. Tive vontade de voltar para minha terra, sem falar com ninguém. Porém, em respeito aos colegas que estavam comigo, continuei firme e indo mais longe, pensei nos índios, nos servidores, fornecedores e parceiros que aguardavam um resultado. 

Obriguei-me a seguir em frente. E acho que fizemos e adotamos as providências corretas. Entramos com uma representação. Apesar de achar que não vai dar em nada. As coisas foram longe demais, perdi a alegria no trabalho, a paixão pelo êxito, nada disso foi levado em consideração. Senti-me uma bandida, vagabunda, cadela sarnenta. A que ponto tivemos que descer para subir um elevador para não perder a oportunidade de brigar por um ideal e idéias. Chorei muito, aquele choro silencioso, sei que cada uma de nós fez isso, para não desanimar a outra. 

Agora, ao escrever este depoimento, estou chorando de verdade e sem medo de me expor.  Quem tem valor hoje é quem não entende de índio, nós somos meros gagás. Acredito que nossas considerações e indagações de nada valeram. Eles estão tão certos que nossa opinião nada vale. Isso dói e como dói. É simplesmente dilacerante.  Os índios, como  o Presidente afirma, a nível nacional,  já estão conformados e orientados. Queira a Deus que isso não resulte em algo mais grave. Foram tão deprimentes as situações, que preferia não terem sido divulgadas, até mesmo para evitar reações dos indígenas que nos conhecem, porém inevitável, na frente de tanta gente, não passaria despercebida. 

Obrigada CHICO e JANICE que tentaram a todo custo contornar e amenizar a situação. Sei que o constrangimento também atingiu vocês, como a outros servidores que tomaram conhecimento. Foi pior do que uma tapa no rosto. Levantei-me e continuarei na luta sim, agora mais do que nunca. Por mim e em nome e respeito aos demais colegas e aos índios. Obrigada, amigos, pelo apoio, confesso que estava precisando disso. 

E que isso sirva de estímulo para que outros não baixem a cabeça. Vamos nos fazer escutar. Pode até não dar resultado, porém tenho certeza que incomodaremos. Fui de braços e mentes abertos e, literalmente, voltei com eles cruzados. Desculpem os erros, ainda estou vazia de sentimentos e de conhecimentos, imaginem de uma boa escrita e concordância. Porém o desabafo serviu para que minha adrenalina voltasse e com força total. 

Estou nesta servidores! Levantem a cabeça, sacudam a poeira e deem à volta por cima. Esse é o lema. Não vamos baixar a cabeça JAMAIS. 
Waldira Maria de Barros
Téc. Com. Social
Extinta AER-Recife

29 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Waldira Barros pelo desabafo que todos os indios e funcionarios da funai bem como os politicos tomem conhecimento desta barbaridade sofrida por voces indigenanas de pernambuco vejam só que comportamento do presidente da funai com as servidoras que sempre foram exemplo de trabalho dentro da funai,voces detém mais 95% de admiração por parte dos indios de pernambuco isto não vai ficar sem respostas que estes intrusos aguardem a resposta virá mais cedo do que esperam, voces acabaram de mexer em um formigueiro de grandes proporções.

Anônimo disse...

Caro Mércio,

Inacreditável o depoimento da servidora Waldira Barros. É muito difícil acreditar que servidores da casa pudessem ser tratatos com tamanho descaso e desrespeito... E dizem que estamos vivendo em plena democracia!

As pessoas que fazem parte do "grupo" do presidente da FUNAI, estão demonstrando, mostrando, abrindo, escancarando - a falta de educação, equilíbrio, elegância... MAS QUEM PODE DAR O "O QUE NÃO TEM"?

Após a publicação do famigerado Decreto, estamos vivendo momentos de instabilidade, retrocesso e insanidade... FUNAI - a casa do índio, dos servidores, dos visitantes e, todos IMPEDIDOS de entrar... Estão criando regras completamente absurdas! Nocivas. Destrutivas... E como podemos reconstruir, reestruturar uma instituição dando "o poder" às pessoas que não respeitam o direito dos outros e não merecem o respeito de nossa luta?

Eu havia escrito anteriormente no blog do Mércio e disse que "Estela e Waldira saberiam enfrentar as tempestades". Uma coisa é certa: "por pior que seja o vendaval, em algum momento ele passará"... Quem duvida? Quem aposta contrariamente?

As "SEMENTES" que se encontram na FUNAI-SEDE - são estéreis, infrutíferas e, certamente de pouca duração!

Conhecemos de bem perto o trabalho, a coragem, a dedicação - de Waldira, Estela, Ivany e de muitos outros colegas que há mais de 20 anos tentam fazer da FUNAI uma instituição melhor... Não importa se outros colegas pensaram diferente e agiram diferente...

O incidente que aconteceu a vocês em Brasília - não vai tirar-lhes o mérito, a coragem e o desejo de continuar lutando. Vocês terão o nosso apoio, consideração, admiração e respeito!

E uma frase para nossa reflexão: "O homem longe dos seus ideais, por mais inteligente que seja, não conseguirá conservar seu calor e sua chama".

Anônimo disse...

Pelo jeito que "la nave vá"..., loguinho o próximo a ser barrado na entrada da Funai, será o cacique Raoni!!!!

Guilherme Carrano disse...

A atual direção da FUNAI desrespeitou os povos indígenas e os servidores públicos que atuam na FUNAI.
Manchou de sangue indígena a porta do órgão indigenista.
E mantém a Guarda Nacional impedindo servidores e indígenas de entrarem no prédio do próprio órgão em que trabalham.
Os Ministerios Públicos sabem disso, estão coniventes ?
A Casa Civil e a Presidência da República sabem disso, estão coniventes ?
Nós, indios e servidores, NÃO ESTAMOS SENDO RESPEITADOS.

Blog do Walfredo disse...

Waldira minha amiga. Minha vontade também foi de chorar ao ler seu depoimento. Levante a cabeça e siga em frente. Os indios que nos conhecem sabem que estamos sofrendo também por eles. Não precisamos de DAS para fazer nosso trabalho. E assim não poderão também nos atingir.

Anônimo disse...

Triste sena deve ter sido, constragedor ver pessoas da nossa familia sendo colocadas para fora da casa, por pessoas que não tem um pingo de respeito. Estela e Waldira, assim como outros não baixem a cabeça, mostrem quem são, pessoas de fibra e orgulho. bato palmas e tiro o chapeu.

Anônimo disse...

Um próspero fazendeiro lá de Minas estava gravemente enfermo. Preocupado com a desarmonia entre seus quatro filhos, resolveu dar-lhes uma lição. Chamou-os, mostrou-lhes um feixe de gravetos amarrados e disse: "Como vocês sabem, estou doente e posso morrer a qualquer momento. Aquele que conseguir quebrar estes gravetos só com as mãos será meu único herdeiro. Os filhos estranharam, mas aceitaram o desafio. Entretanto, nenhum deles conseguiu quebrar os gravetos. Indignados com a tarefa impossível proposta pelo pai, puseram-se a reclamar. Foi quando o fazendeiro pediu o feixe a anunciou que ele mesmo iria quebrá-lo. Incrédulos, os filhos lhe alcançaram os gravetos e, atônitos, assistiram ao pai que, deitado, foi retirando os gravetos e quebrando-os um a um, para depois concluir:


- Vocês são como este feixe. Enquanto estiverem unidos, sempre poderão contar com o apoio um do outro. Porém, separados, vocês são tão frágeis quanto cada um destes gravetos.

Trata-se apenas de uma fábula, como tantas outras que pregam essa mesma moral: a união faz a força. Mas, se abrirmos os olhos e observarmos ao nosso redor, podemos perceber que essa é uma das verdades menos questionáveis.

Anônimo disse...

Os verdadeiros funcionarios da FUNAI.

O direito é comparado como um nascimento, quando uma mãe vai dar a luz a seu filho. Ela dedica sua própria vida para dar a luz seu filho que viveu em sua barriga por mais ou menos 9 meses. E o direito não é diferente, e luta, batalhas, direitos é lutar por um ideal, a evolução do direito e marcada por lutas intensas, batalhas sem fim, o símbolo do direito já ajuda o entendimento. A espada da deusa significa luta, significa lutar por direitos, por que só conquista-se um ideal, com lutas, muita vontade, dedicação, e o direito nós exige que lutemos.
Na antiga Roma lutar pelo seu direito era dedicar-lhe a própria vida em prol de um determina dado ideal. O direito é uma guerra que não existe fim, pois quanto mais lutamos, mais sagramos, e o sangue exige justiça. Mais o direito veio em seus primórdios era entendido como obra divina, o homem acreditava que o direito foi criado por um Deus, todos os atos dos homens eram considerados aparti dos Deuses, mais com a separação da igreja com o Estado, o homem passa a questionar o direito não como uma obra divina, e sim como criação de si mesmo. Aparti daí o homem não é mais dominado e sim começa a dominar o cenário social, principalmente em Roma. Mais o direito como um fato social tem tanto valor na vida de cada cidadão, a violação de um direito, é violar a própria pessoa em si e o motivo de defender esse direito violado é um principio reconhecido em sociedade mundial, o direito é uma guerra do homem consigo mesmo que atravessa séculos que parece não chegar a um fim, logo o direito é um princípio natural de cada pessoa que defini-se direitos e deveres em sociedade.e quem da esse limite ou estende esse direito é o Estado,com normas dotadas de imperatividade,além disso o direito também esbarra na moral,que em sociedade mostra a moral ou quem efetivamente luta por moral é a igreja,são pontos que o direito usa como auxilio em sociedade.
O direito a cada dia, a cada passar de tempo, torna-se mais dinâmico, pois a própria sociedade necessita e faz com que tal torne-se desse modo, e um modo que os enfermos sociais caísse nas redes do dinamismo das normas em sociedade, e a luta passa a ter opções, e o direito melhora a vida do cidadão, com uma rapidez, mais isso teve uma evolução historia que marcou com sangue os anos passados, e hoje temos uma sociedade dinâmica e politicamente organizada.

Anônimo disse...

Marcio Meira e seu bando, em todas as AERs e áreas indígenas por onde passou, sempre foi recebido de portas abertas... e agora, cospe no prato de todos àqueles que o receberam!!!

Anônimo disse...

O que estamos sentindo na pele é um tipo totalitarismo sem precedentes.

Antes, era possível a união em grupos, reunir em sindicatos, recorrer às instituições que defendiam a democracia de direito, enfim. Hoje, Lula comprou, destruiu ou seduziu qualquer indício de movimento social. Márcio Meira obedece a ordens da Casa Civil, nem o Ministro consegue tirá-lo. O agora refém de tudo MPF – outrora imponente “4º poder” - não se manifesta para nada

Plagiando a propaganda (campanha) do PT na TV aberta que passou nesta semana:
“Essas foram nossas conquistas, este é o PT, Dilma é PT, e você????

É difícil, mas temos que cair na real. Aquele partido originado nas bases das lutas sociais acabou !!!!

Quem reclamar sai da Funai ou pode acontecer coisa pior. Afinal, quem é petista também é fiel a Jader Barbalho, Collor de Mello, Sarney e.....(lista grande de canalhas).

Anônimo disse...

Caro Mércio,

veja só que grande ironia, que paradoxo: enquanto a escola de samba Imperatriz Leopoldinense, no seu desfile de domingo cantando o samba enredo "Brasil de todos os deuses" - homenageando Tupã e o índio, numa transmissão pelo Brasil e por diversos países - a FUNAI, em Brasília, fecha as suas portas para os índios e servidores, coloca a polícia de plantão e permite que duas funcionárias da casa sejam tratadas de maneira grosseira e desrespeitosa.

Tomara que assessores do presidente Lula tenham acesso ao seu Blog, tome conhecimento dos absurdos que estão sendo cometidos e possa dar "um basta" em tanta parafernália.

FUI...

Anônimo disse...

Eu como servidor público, estou bastante envergonhado com esta equipe do Presidente Márcio Meira. Todos despreparados, sem a mínima condições de exercer um papel público. Nunca, na história do Indigenismo, presenciei estes fatos.
Isto é demais! Alguém tem que fazer alguma coisa.
Será que o Presidente Lula, não lê estes comentários?
Não vamos desistir! Vamos à Luta!

Anônimo disse...

Quer conhecer um homem dê poder a ele.
Qual a relação entre poder e humildade?
A resposta eu ainda não sei, só sei que parece que são grandezas inversamente proporcionais.
Analisando a trajetória e o percurso de alguns ícones, que diga-se de passagem se conformam com muito pouco, percebe-se nitidamente como é fácil ser corrompido pelo banquete farto do poder.
O poder desestabilizar o sistema de aprendizado: comportamentos, atitudes, cognições,índole, caráter e tudo que se comporta a postura mutante.
Ouvi dizer por ai que educação vem de berço e que a família representa para o individuo o grupo de referência primário. Esse grupo é capaz de impregnar no indivíduo o que chamamos de "raízes": daqui parte a boa ou a má educação.
Já vi pessoas simplinhas(como diz Hebe) se transformarem em indivíduos arrogantes e pernósticos. O que é preciso para que essa mudança ocorra? Um estalo. Eu não sei bem em que proporções ou quantidades, só sei que o contato com o poder é algo transformador e perigoso. Dai a ineficácia do aprendizado de toda uma vida. o poder desestabiliza. O poder é fatal. O poder renova. O poder transforma. Talvez o poder torne visível o que o ser humano realmente é, despido de moral e ética.
Poucas pessoas conseguem conviver pacificamente com o poder. O poder é um marco no calendário da vida humana. Eu tenho medo do poder, não sei como vou me chamar se um dia encontrar com ele.

Anônimo disse...

Quer conhecer uma pessoa, dê poder a ela!
"O homem guiado pela ética é o melhor dos animais; quando sem ela, é o pior de todos."(Aristóteles, 384 - 322 a.C.)

O princípio básico da democracia criado lá longe na antiga Grécia e, na era moderna completamente deturpado, ensina: é o governo do povo, para o povo e pelo povo. Paralelamente a este conceito, surge a idéia de poder.
O poder é uma das molas propulsoras da humanidade. O homem busca o poder incessantemente. Poder da influência, da sedução, do dinheiro, do amor, da cura, o poder pessoal, etc.
Quem tem o poder de decisão, considera-se todo-poderoso a ponto de passar por cima de iguais e trair a confiança das pessoas mais próximas “AMIGOS”.
Seria certo afirmar então que a partir da tomada de posse de qualquer cargo (público ou privado) a ética é posta de lado? Que o poder se torna tão arraigado, tão enraizado, que a pessoa já não sabe mais o que é certo e o que é errado? A Posse do poder tem gerado práticas contrárias aos princípios éticos: gera desigualdades crescentes, gera injustiça, rompe laços de solidariedade.Então, é correto afirmar que, para se conhecer uma pessoa de verdade, deve-se dar poder a ela?
O que sei é que sem ética e moral, o conceito grego de democracia fica difícil de ser entendido e praticado.

Anônimo disse...

Você acha que conhece as pessoas, mas o convívio diário mostra quase nada das pessoas que nos relacionamos. Passamos, realmente, a conhecer alguém quando lhe damos poder para modificar as coisas.
Você vai poder verificar isso, com facilidade quando a noiva se tornar esposa, um subordinado se tornar gerente ou um empregado se tornar patrão. Em todos esses casos, as pessoas passam a mostrar seu verdadeiro "eu", quando tomam as rédias da situação.
Ontem, estávamos conversando sobre um funcionário exemplar que havia na empresa. Sempre prestativo, focado em resultados, com excelente relacionamento com todos enfim, quase tudo que poderia se esperar de um funcionário exemplar.
Um belo dia, foi decidido que era hora dele assumir o setor no qual sempre deu excelentes resultados. Sua dedicação e responsabilidade, mantiveram os resultados do setor em ascendência constante, porém o clima do setor, já não era o mesmo.
Todos achamos estranho que os demais membros do setor, apresentavam uma certa apatia, em detrimento do bom humor característico da área. Achávamos que tivesse relação com o excesso de trabalho ou a recente mudança. Com o tempo a coisa foi se organizando e tudo parecia voltar ao normal, não exatamente como era, mas nada que devêssemos nos preocupar.
Com o passar do tempo e os constantes resultados acima do esperado, esse funcionário ganhará a responsabilidade de novos setores e com isso, cada vez mais importância na empresa e cada vez mais percebíamos que algo estava estranho com os subordinados das nova áreas.
O golpe final foi um pedido de demissão em massa, vários subordinados deste entregaram em um curto espaço de tempo, suas cartas de demissão, dizendo-se não estarem alinhados aos novos rumos da empresa.

Anônimo disse...

Olá,
quem disse, quem inventou que o governador de Pernambuco havia feito um Ofício para o presidente Lula, solicitando ou modificando o infeliz do Decreto de reestruturação??? Ledo engano. O governador de Pernambuco está pouco se lixando para a FUNAI/índios e servidores! E saibam que o governador goza de prestígio, além de ser um amigo pessoal do presidente Lula...

Quem se deu bem foi o estado de Alagoas - a terra de Renan Calheiros e Collor de Melo... E o estado do Ceará? O berço de Ciro Gomes?
E nossa Igreja Católica, Apostólica e Romana representante do CIMI? Até o Papa João de Deus, humildemente pediu perdão. Alguém lembra?

E os nossos deputados federais, senadores ligados ao PT?

Índio incomoda? A FUNAI é um entrave para o desenvolvimento? Ela impede o trabalho das ONGS nacionais e internacionais?
Me ajudem a entender tanto marasmo, tanta inércia, omissão. A igreja prega que a omissão é um pecado... A FUNAI está se esfacelando, se deteriorando e se tornando completamente vulnerável. O que será dos nossos índios? E os seus direitos conquistados? E o futuro dos seus filhos e netos? Sua cultura e sua história tão antiga, escorrendo entre os dedos de tanta gente descomprometida, ineficaz e até desumana? Os nossos índios precisam ainda entrar no embate, na guerra, derramar seu sangue ou perder vidas para serem ouvidos, vistos e manter seu habitat natural?

Estou verdadeiramente preocupado com o destino das Nações Indígenas!

Anônimo disse...

Agora vamos começar um novo protesto contra esta cupula que esta na Funai, convovo todos os colegas para fazerem seus comentarios de protesto contra a diretoria da Funai. Esse pessoal esta a serviço de quem prcisamos descobrir atenção comunidades indigenas vejam o que fizeram com 03 servidoras da funai Recife que sempre foram e continuam sendo um exemplo para todos que trabalham com elas principalment para os indios. Tem ou melhor tinha grande penetração na sede em Brasilia e como não se curvrm diante da proposta indeceste do sr presidente com relação a nova estrutura, foram convidadas a se dirigirem a Brasilia para serem humilhadas na frente de todos os que estavam presentes eu, realmente estou pasmo com a atitude desde presidente que não respeita Governadores, Senadores, Deputados Federais, CNBB,Sendicatos, nem as lideranças mais atuntes do presidente da Republica Fernando Ferro e Romero Jucá. será que alguém com força sobre natural prometeu ao Lula que a Dilma só vencerias a eleição caso o Marcio Meita permaneça a frente da Funai, é só nos resta acreditar nesta possibilidade Falta de respeito total aos servidores aos indigenas e a toda a sociedade brasileira. Prsidente Lula acorde para realidade este homem(Marcio Meira ) está fazendo o maior estrago politico em seu governo e acabando com as tradicionais cultaras do país que são nossos indios. Gente não vamos nos curvar diante dele a luta tem que continuar aida bem que existe este blog do Mercio que tem nos ajudado muito. Estela, Waldira e Ivany voces foram um exemplo de coragem diante desta cupula, indios e servidores lhes agradecem por suas posturas.

Anônimo disse...

Nós índios de Pernambuco não admitimos uma agressão as servidoras que mais servem aos índios: Estela, será sempre nossa Administradora e onde ela for, iremos juntos, Waldira a nossa lutadora de sempre, Cuidado, voces estam cutucando,onça com vara curta, como diz o nordestino. esperem!

Anônimo disse...

Meu caro amigo Mercio Gomes, Gostaria dentro de suas possibilidades, que voce reeditasse a carta de desabafo da Waldira Barros, na proxima quinta feira para que todos tomem conhecimento no país. Valeu Waldira , Estela e Ivany voces botaram para quebrar, nesta turma de incompetentes de Brasilia

Anônimo disse...

Olá amigos,

Só está faltando agora um novo Decreto e, nestes termos:
"Fica terminantemente proibida a entrada na Sede da FUNAI em Brasília - ÍNDIOS e SERVIDORES;

Para as ONGS sanguessugas, espertas, indecentes e imorais - as portas da Sede da FUNAI em Brasília, ficarão literalmente ESCANCARADAS; a CORJA do presidente Márcio Meira - arrastando uma porção de DAS's e comprometidas com a eleição da então candidata a presidência da república - Dilma - está liberada para entrar e sair sem ter que passar pela Guarda Nacional;

Os parlamentares que estão FORA do compromisso com os povos indígenas - terão PASSAGEM LIVRE;

Os grileiros, madeireiros, garimpeiros, parentes em segundo e terceiro graus e amigos do presidente da FUNAI e de diversos diretores da casa - usarão a Instituição como um Banco de Negociações/negociatas/troca de favores e outras coisas mais permitidas pelo governo dos trabahadores; se existem índios e servidores coniventes com a nova política da FUNAI - serão aceitos e farão parte, e comerão uma fatia do Bolo que está sendo preparado e que logo irá para o FORNO; o FORNO da indecência, imoralidade, corrupção, acordos obscuros, dinheiro fácil, etc.

E VAMOS ESPERAR PRÁ VER!!!!!!!!!!!!!
Ficará proibida à luta pelos direitos dos índios, a indignação de servidores e sociedade - em favor da construção de uma FUNAI voltada exclusivamente para atender e defender todas as reivindicações e anseios das nações indígenas brasileiras.

E este Decreto entrará em vigor a partir da Queda do Muro da FUNAI, dos seus dirigentes, afilhados e ONGS Nefastas...

Anônimo disse...

É vergonhoso o quadro atual da FUNAI,hoje o presidente do orgão, vive agora escondido no Ministério da Justiça, membros de sua cúpula ficam aterrorizando servidores e indígenas na sua velha morada(FUNAI/CENTRAL).Até quando essa humilhação vai continuar,não é possível que não tem ninguém no Governo preocupados com essa situação. O Sr. Mércio Meira veio para exterminar o pensamento dos indigenistas,dos servidores e principamente dos índios. Essa senhora Francisca Picanço,caiu também de paraqueda, assim como os demais só para infernizar e desmontar o que foi construídos ao longo dos anos pelos servidores legítimos da FUNAI,assim é convardia. Obrigado

Anônimo disse...

Não adianta chorar, o que estar feito estar feito, o importante e seguir em frente.

Anônimo disse...

As pessoas estão dizendo que a discriminação diminuiu muito nesses anos, mas a verdade é que ela está escondidas dentro de muita gente, que dizem que não tem preconceitos por medo de ser processados,e ridicularizado pela sociedade. Quem dizer que discriminação é coisa do passado, é porque nunca sofreu ou esteve na pele daquela pessoa que foi humilhada um dia .A discriminação é uma barbárie que fazem contra os povos indigenas ,é uma crueldade desumana , ao contrario de muitos que pensam que indio não tem alma, nós indios temos sim, pura e verdadeira.Temos o mesmo sangue que todos os seres humanos tem , temos sentimentos e coração e sofremos por ser olhados com olhar de discriminação e morremos por dentro quando somos alvo de preconceitos. O jeito é levantar a cabeça olhar p/frente e dizer ''EU'' posso ''EU CONSIGO'' e passar por cima da praga que é a maldita discriminação.

Anônimo disse...

Concordo com o fato de naão adianta chorar e sim lutar. Para quem n~çao sabem a Chica Picanço é uma ex CIMI e com isso acha que sabe tudo, vamos mostra para essa senhora quem sabe e quem realmente detém o poder. Se n´´os servidores realmente queremos algo ou mostrar quem realmente de índios, deixem de ser anônimo.Vamos mostra a nossa cara sem ser pinta ou se esconder no aninimato. Somos servidores sim com muito orgulho. A não ser que tenho vergonha de se mostrar porque conseguiiu alum DAS e não queira perder, mais lembre-se dAS é hoje e não amanhã. Somos do quaro com muito orgulho e daí se eles não são eles tam,bém é hoje e não será amanhã se Deus quizer somos mais forte unidos e não escondidos. Nunca sinta vergonlha daquilo que no dia-a-dia se faz com orgulho. Pense nisso.

Anônimo disse...

OI, Estela, Waldira e Yvani, O problema não é Recife, vocês fizeram tudo certo, o problema é o Governo de Pernambuco. Todos que trabalham na FUNAI a nível nacional sabe que Fortaleza e Maceió, não tem estrutura para comparar ou ganhar em comparação a Recife, inclusive fale o que quiser em compoetência, todos sabem e se ressentem da qualidade técnica de Vocês. O problema que nem em Braília temos um quadro desse nível, hoje sim, com os DAS e tercerizados. Vocês sempre estão a frente e isso causa ciumes. Até hoje ninguém conseguiu baixar a bola de vocês com ou não as pessoas que não querem nada com a vida. Tudo em Recife apesar das confusões sempre surte resultados positivos. Isso imcomoda a muita agente.O Presidente não é enhum doído ou idiota, claro que sabe de tudo isso, e vão usar vocês para que Maceió venha a ter resultado positivo. Não entre nessa, com o quadro técnico e estrutura vocês vão mostrar superioridades. Eles não querem dá o braço a torcer mais qualquer um em sã conciência sabe que não existe a mínima possibilidade. Eles vão dá a vida para provar que estão certo e cabe a vocês mostrar que eles estão errados. Não posso dizer quem sou, mais com certeza acho que se vocês quiserem mostrarão a eles qu vocês são os melhores queiramos ou não engolir isso, particularmente, adoro isso, pois sempre que preciso recorro a vocês. Torço por vocês e acho que o lula não o que estão pensando, ele é inteligente e vai reconhecer que Recife é um POlo e não uma simples cidade. E o momento é crítico, eles querem ganhar essa eleição, portanto meus amigos de Recife, Aguardem se o presidente realmente é inteligente ele vai rever a situação de vocês. Vocês estão com a faca e o queijo na mão. Vamos ver se são inteligente o suficiente para usar usar isso a favor de vocês, sinceramente torço para que sim. Vocês tem uma hisória de luta, resistência, sobrevivência e de renasccccccimento. Conituem firme, alguém, vai corrigir esse grandioso erro. Se pensam que Maceió ou Fortaleza terão pique e com vocÇês na retarguarda estão engananado e comprova que realmente não conhece de FUNAI. Boa Sorte, Estela e Waldira juntas vocês são fortes, só não entendo porque só agora estão juntas, perderam muito tempo, isso era pra ser a dupla Estela/Waldira/Estela desde o inícío e agora somou mais uma a Ivani que não conheço ,mais aqui em BSB não se falça em outra coisa a não ser no trio nordestino. Cabeça erguida e use a cabeça sem emoção e sim a razão, vocês serão imbatíveis.Não deixe essa fortaleza quebrar. Voces sobreviveram até agora a todas as tempestades e essa é pequena diante das já passadas por vocês. Mostra també a esse jurídico que vocês são superiores. Tem muitos querendo ir pra Recife para somar, dispensa esses com prazer. Estou com vocês e não abro. Boa Sorte e faça com que esse povo de Recife use também a cabeça, eles não poderiam ter representantes melhores do que vocês. Sinto até uma inveja sadia, claro. Beijos

Anônimo disse...

O Carnaval terminou e o cenário continua inalterado na Funai,pelo contrário aparece agora mais uma pessoa para infermizar os servidores, trata-se Da Senhora paraquedista FRANCISCA PICANÇO,segundo informação ex-CIMI. Pessoal não é assim que se trata os servidores, eles merecem respeito, antes de tudo eles querem apenas diálogar,buscar informações a serem repassadas aos outros colegas, ou até mesmo saber de fato o destino que cada um deverá tomar. Como Recife e outros lugares que existia Funai, algumas foram transformadas em Coordenações Regionais os colegas servidores estão mais tranquilos e os outros que não sabem que realmente vai acontecer.A grande angústia dos servidores hoje é como vai ficar a situação de cada um,a direção do orgão não explica, apenas dizem que onde era Administração Regional essa passará até a denominação de Coordenação Local(Técnica),mais em nenhum momento diz como ficarão funcionado: quantos servidores,ás atividades a serem desenvolvidas, como funcionará internamente, enfim tudo isso de certo modo causa insegurança,dúvidas e outras preocupações, vamos ser mais claros. Obrigado.

Anônimo disse...

Caramba! A que ponto chegamos! Não me lembro de ver tanta desordem na FUNAI como agora, tanta falta de respeito.

Estamos lidando com que tipo de gente? Será que são gente mesmo?
Ainda bem que tem muito funcionário antigo dentro da FUNAI na Sede.

Fico pensando como seria hoje se este Senhor Márcio Meira estivesse dizimado todos, com certeza, estaríamos bem pior.

De que adianta as pessoas ficarem, anonimamente e "impactantimente" criticando os colegas que foram apostilados. Porque que os mesmos é que tem que dar exemplos? Eles, da maneira deles estão lutando pelos mesmo ideais! Os que ainda se encontram na FUNAI, mesmo que contra a vontade desses Petistas, são, de fato nosso colegas e nunca vão deixar de ser e mais, não são os culpados por tudo que tem acontecido. Acordem e vejam quem são os nossos inimigos.Parem com isso!

Cadê a receita para curar todos esses males? Cuidem de trabalhar contra esta cúpula e não ficar acusando os colegas. Cuidem de proteger os colegas que lá ainda estão e os colegas que estão sendo rechassados, como Waldyra e outros....

Anônimo disse...

Recado para o Sr. Márcio Meira (Presidente da Fundação Nacional do Índio).

Depois desta bagaceira de Decreto, está feliz e satisfeito?
Nunca pensei que o Sr. fosse tão incompetente! O que tens na cabeça? MMMMMMMMM?
Olha o reboliço! o constrangimento!
os conflitos, basta, chega! Tome uma atitude!
Saudações Indígenas

Anônimo disse...

Waldira,
Veja você que não têm volta, o melhor neste momento é aguardar os acontecimentos, não é o caso de você tomar para si a derrota, mesmo que momentânea, nada é eterno e, com certeza tudo vai mudar, amanhã quando acordar o céu vai estar mais bonito e nos vamos rir de tudo que se foi.
Vamos aguardar para mostrar que eles estavam errados, mesmo que hoje, nos tenhamos certeza que eles erraram, não há de ser nada no contesto geral, lembre-se, a inteligência foi limitada pelo criador, porém, a ignorância não se sabe porque foi liberada pelo arquiteto do universo

 
Share