quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Índios Guarani e Terena querem a saída da Administradora da Funai em Dourados

A situação em Dourados saiu fora dos limites. A administradora da AER, nomeada por indicação do PT, cometeu tantos erros indigenistas que levou os índios Guarani e Terena que lá vivem a pedir sua saída. Como ela não saiu expontaneamente, eles fecharam a sede da Funai e pediram ao governador do Estado para intervir.

Isto é gravíssimo! Os índios apelarem para o governador, que não tem nenhuma capacidade legal para agir, é uma afronta ao indigenismo brasileiro! É o descalabro que tomou conta daquela AER e da política neoliberal que vem sendo aplicada pela direção da Funai.

O pior é que esta direção vinha dando atenção especial a Dourados, com vários ministérios, especialmente o Ministério de Desenvolvimento Social, investindo recursos na área. Muita gente foi contratada para prestar assistência em Dourados, especialmente o antropólogo profissional dos Guarani, que agora certamente vai tirar o corpo fora e não se responsabilizar pela falta de atenção indigenista.

É preciso que a Funai não deixe que o governador se meta no relacionamento da Funai com os índios.

Ver mais em Campo Grande News

---------------------------------------------

Indígena confirma substituição na Funai de Dourados

Dourados Agora

Depois de muita movimentação pela substituição da administradora da Funai de Dourados, Margarida Nicoletti, os indígenas receberam uma confirmação da governadoria do Estado informando sobre um novo nome para ocupar o cargo nos próximos dias. A informação é do Presidente da Associação Indígena Kateguá de Dourados, Lucas Flores Paiva. Segundo ele, a pessoa indicada pelo governo, ocupa um cargo na Funai de Campo Grande.

Cerca de 200 indígenas ocuparam a sede da Funai na manhã e início da tarde desta terça-feira. O grupo foi até o local pedir a substituição de Margarida. "Os indígenas não estavam mais aguentando a forma como eram tratados. Haviam muitos impasses. Entre eles o fato dos indígenas quererem poupar o dinheiro que se paga para realizar obras com tratores no local. Enquanto se paga para fazer o serviço, os próprios índios têm condições para realizar os trabalhos. O dinheiro, ao invés de outro destino, pode ser investido na própria reserva. Os índios estavam sendo tratados com descaso", denuncia.

Conforme ele, durante reunião com a administradora, não houve um consenso. "Pedimos pacificamente para que ela deixasse o cargo, o que não foi possível. Ela simplesmente saiu do local trancando as portas da Funai e não retornando mais. Todos os funcionários foram embora e deixaram a gente do lado de fora. Permanecemos algumas horas no local em forma de protesto e logo em seguida pedimos ajuda ao governador, que sempre vem lutando pelo bem-estar da comunidade", disse.

O grupo se reúne nesta quarta-feira com o vice-governador Murilo Zauitt, que encaminha documentação dos indígenas para Brasília. "Já decidimos que vamos aceitar a indicação de André Puccinelli. Só faltam os trâmites legais de substituição. Tenho certeza que esta mudança marca um novo tempo para a comunidade", disse, observando que o encontro vai contar com representantes de aldeias de Caarapó.

Margarida Nicoletti não foi localizada na Funai e no telefone particular para eventuais esclarecimentos.

Um comentário:

 
Share