quarta-feira, 30 de junho de 2010

SINDSEP-GO pede revogação da reestruturação da Funai

Em mensagem elegante e bem explicativa, o SINDSEP de Goiás pede ao presidente Lula a revogação ou mudanças no decreto de reestruturação da Funai. Pedido que não terá resposta, sem dúvida, mas que dignifica o movimento sindical daquele estado e a união que fizeram com os índios e indigenistas de Goiânia.

Vale a pena notar que o SINDSEP de Goiás tem estado firmemente ao lado dos funcionários da extinta AER Goiânia, manifestando solidariedade inclusive ao movimento indígena contrário àquele Decreto.

O Acampamento Indígena Revolucionário continua lutando em condições cada vez mais adversas das que tinham antes. Um contingente de índios Guajajara voltou às suas aldeias, mas diversos grupos ficaram, e vieram mais alguns do Nordeste.

A determinação do ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, para que a Funai tome providências no sentido de viabilizar a criação de uma coordenação regional em São Luís do Maranhão e transferir duas coordenações, de Maceió para Garanhuns e de Chapecó para Curitiba, parece que anda às moscas. Não há sinal de que a atual direção da Funai esteja preparando essas mudanças.

Impressiona nessa crise que já dura seis meses (completados dia 29 de junho último) a total inabilidade da atual direção da Funai e, mais ainda, seu desprezo pelas demandas dos índios que saíram prejudicados pelo Decreto. Sobre os funcionários da Funai a atual direção não está nem aí. Nem falar na falta de responsabilidade histórica para com o indigenismo.

Mal sabe esse grupo que tomou de conta da Funai , e que a usa ao seu bel-prazer, que a resistência indígena é inquebrantável. Dia menos, dia mais, ela se fará presente.

A atual direção da Funai pode até ganhar batalhas nos confrontos que tem tido com a resistência indígena. Seu poder de enrolação é imenso, dilatado e inescrupuloso. Tem o apoio das ONGs que vivem das beiradas do indigenismo brasileiro e assim toca a vida. Nem se importa com as consequências nefastas de sua atuação para o indigenismo brasileiro, assim como não se sente responsável pelas mudanças no processo de demarcação de terras criadas pelo acórdão do STF na reiteração da homologação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol. Quem vier a substituir essa direção vai sofrer muito para tentar recuperar as perdas sofridas.

Neste meião de Copa, onde o Brasil demonstra ter um time sólido e competente, tudo está a meia bomba. Nas aldeias, os índios vibram com os jogos da Seleção e torcem por sua vitória. Como os demais brasileiros, aguardam os próximos jogos.

Muita coisa acontecerá após a Copa. É esperar para ver.

__________________________________


Oficio nº 097 /SINDSEP-GO/2010.                                             Goiânia/GO, 29 de junho de 2010.


Ao:
Excelentíssimo Senhor Presidente da República
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

C/ cópia para o Exmo. Sr.,
Ministro da Justiça
Luiz Paulo Barreto

            Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

           O SINTSEP/GO - Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal em Goiás vem mais uma vez, solicitar o apoio de Vossa Excelência, se posicionando firmemente contra o processo da chamada “reestruturação” da FUNAI, elaborada através do Decreto 7056, de 28/12/2009, e reivindicar respeitosamente, que o Estado Brasileiro, através do Poder Executivo Federal, na pessoa do Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, possa se sensibilizar no sentido de revogar ou revisar pontos cruciais desse Decreto, extremamente nocivo e nefasto, que trouxe apenas transtornos, desentendimentos, desorganização funcional e administrativa à FUNAI; além, é claro, de não trazer absolutamente nenhum benefício e nenhuma melhoria concreta no atendimento e nem na qualidade de vida dos indígenas e suas comunidades. Pelo contrário, com a publicação do Decreto nº 7056, de 28 de dezembro de 2009, as comunidades indígenas ficaram completamente expostas, desprotegidas e vulneráveis a todos os tipos de invasões e depredações, uma vez que o Decreto extinguiu todos os 344 postos indígenas espalhados por todo o território nacional, que atuavam junto às populações em suas aldeias.
O Decreto também fechou, além de 23 administrações regionais, a Administração Executiva Regional da FUNAI na cidade de Goiânia-GO, deixando sem nenhuma referência e apoio aos índios do estado de Goiás, de outras regiões que transitam pelo estado, além do frágil e pequeno grupo de índios Avá-Canoeiro, sujeitos à extinção total.
               A sede da FUNAI em Goiânia-GO possui suas instalações em imóvel próprio, construído pelo Serviço de Proteção ao Índio – SPI, desde a década 1960, sem ônus para o Governo, devidamente organizada operacional e administrativamente. A sede da Administração é composta de um corpo de funcionários qualificados entre indigenistas, engenheiros, veterinário, sertanista, arquiteto, administrador, agrimensor, artífice, pedagogo, técnico contábil, sociólogo, etc, prestando relevantes serviços e desenvolvendo inúmeras atividades e projetos em prol das comunidades indígenas em todo País.
Conveniente ressaltar ainda que a cidade de Goiânia é um importante centro de serviços, historicamente frequentada por índios de distintas etnias de diversas regiões do Brasil, em virtude da referência da cidade no âmbito nacional dos seus avanços na área médica e de saúde, devido à sua excelente localização geográfica, facilitando o acesso dos indígenas para resolução de suas demandas, proporcionando aos mesmos, segurança e apoio durante a permanência na cidade de Goiânia, através da Administração Executiva da FUNAI existente na referida capital; além de contar ainda, com vários centros de estudos especializados na questão indígena, como o tradicional Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia - IGPA da Universidade Católica, a Universidade Indígena que está sendo construída pela Universidade Federal de Goiânia – UFG, o Centro Cultural Jesco Puttkamer do Instituto Goiano de Pré-história e Antropologia da Pontifícia Universidade de Goiás, e contar com o Conselho de Assuntos Indígenas do Estado, criado através do Decreto 5.636/2002, o qual é composto por órgãos da esfera Federal e Estadual, como FUNAI, MPF, AGU, Governo do Estado, Comunidades Indígenas entre outros, evidenciando assim o respeito e o compromisso com as questões indígenas no estado.
Em recente reunião do Coordenador Regional de Palmas, com alguns indígenas da etnia Tapuia, o mesmo anunciou aos índios, que toda a estrutura da FUNAI em Goiânia, seria transferida para a cidade de Goiás Velho, distante 120 (cento e vinte) quilômetros de Goiânia; o que demonstra claramente, uma total incoerência e um imenso desperdício de dinheiro público, uma verdadeira imperícia, onde se despreza e esfacela premeditadamente uma estrutura organizada, já existente, para abrir uma outra Unidade em um local inteiramente inadequado, desprovido de um centro comercial e produtivo adequado e não dispor dos aparatos e órgãos judiciais (e outros governamentais) sempre necessários para atender as constantes questões legais das comunidades indígenas; o que com toda certeza obrigará aquela Unidade, a sempre recorrer às facilidades da capital - Goiânia.
Vale a pena também destacar, todo o gasto (pagamento de ajudas de custo, transporte/mudanças, passagens, etc.), que será gerado desnecessariamente, com a remoção de 48 (quarenta e oito) servidores e seus familiares, hoje estabilizados, para essa nova unidade, que fica a somente 120 (cento e vinte) quilômetros da atual, demonstrando mais uma vez, a total falta de lógica e critérios com que a questão vem sendo tratada.
Merece também destaque, a carta pública enviada pela comunidade indígena Tapuia, às autoridades governamentais, implorando ajuda, com seus motivos, para que não deixem que se consumam as mudanças na forma anunciada, contra a vontade própria dos povos indígenas que vivem neste estado (cópia em anexo).
Portanto, diante desta situação inadmissível e injustificável, nosso sincero pleito é de que o Governo Federal faça uma imediata revisão deste incoerente Decreto, tornando viável a reabertura e a manutenção de uma Coordenação Regional da FUNAI na cidade de Goiânia-GO, visto que no momento existem discussões na pauta do Ministério da Justiça para a resolução dos atuais problemas gerados pelo Decreto 7.056/2009, com relação às Administrações de São Luis, Recife e Curitiba; assim rogamos que a situação da Administração de Goiânia, seja incluída na referida pauta, dada a grande importância da FUNAI neste estado (Goiás).

Com os cordiais cumprimentos,

Ademar Rodrigues de Souza
Presidente do Sintsep-GO

41 comentários:

Anônimo disse...

muito boa a carta do Sindsep- GO. Os sindicatos e a CONDSEF estão presentes nesta luta, porém tem poderes para serem mais enfáticos e não com ações tão timidas.
Espero que os outros SINDSEP do país sigam os caminhos trilhados pelo Sindicato de Goiás.
A luta continua.

Blog do Walfredo disse...

Na minha opinião o que tem que se fazer é a regulamentação da FUNAI, adaptando as novas coordenações locais às estruturas já existentes e definindo de uma vez por todas, as responsabilidades e como cada servidor deverá atuar. No momento o que reina nas coordenações é a desordem, o caos, porque ninguém sabe quem é o chefe e estes não sabem o que fazer. Não acredito que a Diretoria da FUNAI seja tão burra a ponto de retirar coordenações de locais onde existe toda a infraestrutura, sede própria e um quadro de servidores estabilizados

Anônimo disse...

Mércio,
afora os DAS que perderam as tetas de dinheiro onde mamavam, o que é tão ruim na reestruturação da Funai? ao meu ver, é um grande avanço. Só reclama quem perdeu tetas de dinheiro. E você, Mércio, perdeu o quê com a reetruturação da Funai? Por que insiste nesse assunto?

Anônimo disse...

se sindicalistas apóiam, sou contra. sindicalistas são oportunistas e interesseiros. argumento fraquinho, esse de que sindicalistas são contrários à reestruturação da Funai.

Anônimo disse...

É uma falácia dizer que Goiânia é historicamente frequentada por índios de distintas etnias de diversas regiões do Brasil, até porque índio nenhum vai resolver nada em Goiânia, porque vem à Brasília para isso!!! O que querem é continuar mantendo um monte de servidor preguiçoso em Goiânia, pra não fazerem nada...

Anônimo disse...

SOU FAVORAVEL A RETRUTURAÇÃO DA FUNAI MAS O QUE FOI FEITO, FOI A DESTRUIÇÃO POR COMPLETO, VEJA AS COODENADORIAS TÉCNICAS SE ESTÃO FUNCIONANDO? PARA ISTO NÃO TEMOS RESPOSTSAS, TODAS ESTÃO PARADAS, AGORA SÓ EXISTEM OS COORDENADORES, QUE NÃO COORDENAM NADA.aINDA BEM QUE O BRASIL ESTÁ DISPUTANDO A COPA DO MUNDO ENTÃO VAMOS TORCE É O MELHOR QUE AGENTE FAZ, POIS PELA FUNAI NÃO SE PODE FAZER NADA POR ENQUANTO. E O MINISTRO AINDA LEMBRA-SE DO COMPROMISSO ASSUMIDO COM OS GUAJAJARA, ESTAMOS DE OLHO.

Anônimo disse...

Creio que é injusta a manifestação do anônimo acima, das 16:22, pois como assíduo leitor entendo que este blog tem apenas como objetivo ser fiel aos eventos do indigenismo e é o que Mércio tem feito integralmente como fiel informante!

Anônimo disse...

VOCE(s)PRECISA(m) LER O LIVRO "A REVOLUÇÃO DOS BICHOS" DE GEORGE ORWELL E VEJA(m) QUE JÁ ESTÁ TUDO ESCRITO LÁ COMO FUNCIONA O PODER, PRINCIPALMENTE EM SE TRATANDO DE PT, QUE A QUALQUER CUSTO QUER IMPLANTAR A DITADURA POPULISTA NO BRASIL!!
caso queiram baixar o livro é so acessar o Link

http://ebooksbrasil.org/nacionais/acrobatebook.html

Anônimo disse...

No loteamento dos cargos no Governo Federal, mais de 2 mil funções DAS são de sindicalistas.
Sindsep age com demagogia !!!
Sindicato é da CUT, PT é a CUT - Ninguém luta contra ele próprio!!!

Agora falar do Mércio? Isso é pura ignorância e covardia. Mércio Gomes é um intelectual, professor Doutor, autor de excelentes obres, indigenista que não se cala diante das barbáries praticada contra os Povos indígenas e nunca precisou de Função (DAS) de governo nenhum.

Mércio está muito acima disso !!!

Anônimo disse...

sou o anônimo que questionou o Mércio. peço desculpas se o ofendi, pois não foi essa a intenção. o que não entendo é o motivo de, nesse que é um dos principais veículos de comunicação do indigenismo, martelar sempre nessa tecla "contra a reestruturação da Funai". Ora, com um monte de hidrelétricas sendo contruídas em terras indígenas amazônicas, creio que esse é que deveria ser o foco das reivindicações. Outro ponto fundamental é trocar todos os DAS por indígenas. DAS são cargos para politiqueiros parasitarem a verba dos indígenas. E, repito, na minha opinião, quem protesta contra a reestruturação da Funai é DAS parasita, que vive em cidade grande e perdeu a "teta de dinheiro onde mamava." Fora DAS, politiqueiros, sindicalistas e outros parasitas afins!

Anônimo disse...

O PAC continua com suas arbitrariedades em prol de empresas e em desrespeito às populações brasileiras e em especial contra os Povos Indígenas.
Continuam as manobras para minerar em Terras Indígenas.
A direção da FUNAI continua prejudicando a defesa dos Povos Indígenas - é a direção do Partido dos Trabalhadores- PT.
E não governamentais respaldadas por recursos internacionais continuam usufruindo das regalias obtidas através do tráfico de influência na FUNAI.
E o Ministério Público está conivente ?
E a CGU e o TCU ?
E o concurso da FUNAI, com tantos escandalos, foi homologado ?
Os prejudicados pela reestruturação são as comunidades indígenas afetadas com a extinção das unidades gestoras regionais.

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo acima, nas críticas em relação ao absurdo PAC, à politicagem descarada e à presença de ONGs patrocinadas por capital transnacional, nas comunidades indígenas.
.
"Os prejudicados pela reestruturação são as comunidades indígenas afetadas com a extinção das unidades gestoras regionais." - pensei que os postos indígenas tivessem todos sido substituídos por "coordenações técnicas locais", ou seja, o que mudou foi a denominação. Quanto às Unidades Gestoras Regionais, que são antros de DAS parasitas, creio que seja benéfico diminuir o número delas.

Anônimo disse...

Cada vez mais fico triste com alguns comentários não sei se vindos de pessoas simpáticas ao desmantelo da FUNAI ou por pura ignorância, como o comentário das 13:45.
Meu caro!
DAS parasita existe na sede Central, cargos ocupados por pessoas sem a menor qualificação e compromisso com a causa indígena, verdadeiros para-quedistas.Esses sim brigam para se manter na mamata. Tenha vergonha na cara e respeite os colegas das unidades descentralizadas que desempenham a duras penas os seus trabalhos. Se existe alguns DAS parasitas nas unidades descentralizadas, como vsa afirma deve ser comprado e a serviço da direção atual. Vide exemplo o Museu do Índio, que enfeitou sua árvore de natal com os vários DAS presenteados pelo Presidente Cumpadre.
Durma com um barulho desses.

Anônimo disse...

o anônimo das 14:38, ou é mal informado, ou mal intencionado. Deve ser um DAS choramingando por ter perdido suas mamatas. Ora, os indígenas sul-matogrossenses não estão neste exato momento protestando para que politiqueiros saiam da coordenação regional de Campo Grande? É óbvio que nas regionais existem pessoas de bem, assim como é óbvio que existem muitos parasitas nas regionais, já que o dinheiro é nelas centralizado.
Outra coisa,por que não esquecem o PT e centralizam seus argumentos nas questões indigenistas? Deixe de ser politiqueiro, caro anônimo das 14:38!

Anônimo disse...

assim como vc mercio, a funai tambem tem o seu blog.

http://www.blogdafunai.blogspot.com/

Anônimo disse...

Mais de 1000 servidores da Funai estão parados, em todo o Brasil não em estado de greve, mas por não terem o que fazer em suas respctivas unidades de serviços. a atual diretoria do orgão esfacelou por completo os serviços ali existentes, no meu ponto de vista são mais 06 meses sem atividades.Sem duvida nenhuma com o aval do sr. ministro da justiça. Que tem conhecimento do caso. Será que os índios que estão em protesto aqui nas esplanadas dos ministério não teem razão. Alguma cousa está errada Sr. ministro e que precisa ser apurado estas responsabilidades, afinal de conta pagamos os nossos impostos e temos direito de saber os resultados. estive falando com alguns índios no acampamento indigena eles querem a saída do presidente, talvez estejam enganados mas uma investigação sigilosa dentro da Funai poderá solucionar os problemas ali existentes. A começar com o nepostismo que é o mas fácil dentro da funai, o resto são estes constantes encontros em hoteis de 05 estrelas será que isto é bom para os indios ou servidores acostumados em suas gordas diárias, não é por bastante estranho sr. ministro, a Funai é uma vergonha para nosso país, mas os índios devem ser ouvidos não por esta direção pois até os procuradores se curvam para eles e tem um tal de Salmeirão pelo amor de Deus esse cara não sabe de nada muito menos de como vivem os indios do Brasil e parece que é o chefe dos procuradores que trabalham dentro da Funai, realmente não dá para entender que tipo de dirigentes existem a frente da Funai. Sr Ministro da Justiça por favor escute o lamento dos indios eles teem razão noi que falam.

Anônimo disse...

VIVA,O MINSTRO DA JUSTIÇA RECUOU,RECIFE,SÃO LUIS E CURITIBA, VÃO CONTINUAR COMO UNIDADES TÉCNICAS.E MACEIÓ CONTINUA COMO COORDENADORIA REGIONAL, MELHOR PRA TODOS OS SERVIDORES MAIS 06 MESES DE DESCANÇO PARA TODOS.

Anônimo disse...

Não gostei do comentario anterior, então A Funai a partir de agora passar a ser Agencia Exclusiva de Turismo e Viagens Para Servidores e convidados expeciais,Isto realmente é uma vergonha.Todos desmoralizados , esta é a equipe do Presidente do Presidente Lula, agora teem a quem puxar, só falta o Aerolula para ajudar,nas farras dos servidores da Funai.

Anônimo disse...

não entendi o comentário das 17h33. como assim, mais 6 meses de descanço? Sr. anônimo das 17h33, poderia explicar melhor esta situação? Fui aprovado no concurso da Funai e estou contando as horas para começar a trabalhar. Confesso que não gostaria de trabalhar com pessoas que estão na Funai somente por causa do salário, que comemoram caso não tenham que trabalhar. Ser indigenista sempre foi meu grande sonho e estou disposto a bater de frente com oportunistas que apenas utilizam a Funai para ganhar dinheiro.

waldira disse...

Caros leitores,

Em reposta ao comentário do dia 1 de julho de 2010 ás 13:45, tenho a informar que desde o início fui contra ao Decreto e continuo, não sou contra a reestruturação, e sim contra essa específica totalmente equivocada e sem o menor sentido. E, acredito que haja grandes alterações, pois ninguém é tão incompetente pra não perceber que perderam o rumo e acabaram com o sentido da FUNAI. Gostaria de dizer que nunca tive DAS, apesar de ter 25 anos de serviços e ter trabalho significativo nas diversas áreas indígenas. Sempre trabalhei e nunca dependi de qualquer tipo de gratificação. Portanto, amigo (a) não fale do que não sabe. Aposto que não conhece um palmo a sua frente do que é índio ou terra indígena. E, afirmo muitos do que brigam, o faz por acreditar que esse Decreto abriu as porteiras, para os desinformados, incompetentes, fazendeiros, seringueiros, oportunistas, usurpadores e assim por diante. Portanto, restrinja os seus comentários quando realmente entender do assunto. Assim como eu, existem outros servidores que são contra o mesmo e não brigam por DAS e sim por acreditar, por idealismo, por entender, conhecer e principalmente por trabalhar. E o que fizeram conosco, que também somos trabalhadores, foi uma vergonha. Estamos sem quaisquer perspectivas ou atividades e, no entanto, recebemos nossos salários todo mês. Enquanto gera o caos, os dirigentes continuam viajando como se nada estivesse acontecendo. Muitos índios também não acreditam no Decreto, e pelo que eu sei, eles não recebem DAS, ao contrário, são os grandes prejudicados nessa história toda. Ou você acredita que eles estão brigando para que possamos manter os DAS dos dirigentes regionais? Faça-me o favor. Portanto não fale por todos, eu, por exemplo, não passei procuração para ser incluída que brigo por DAS. E tenho nome, não me escondo ao dizer ou afirmar algo, se está tão segura do que afirma, devia ao menos ter feito o favor de identificar-se. Pergunto: Quantas regionais ou terras indígenas você conhece? Qual a sua formação? Indigenista, sei que não. Boa noite.

Anônimo disse...

Tadinho, começou mal essa coisa de ser indigenista e bater de frente com oportunistas!
É incapaz até de compreender o sarcasmo de um comentário...
Boa sorte companheiro... te vejo por aí..

Anônimo disse...

Prezado colega do comentario das 21:54, não se preocupe, meu sonho é realmente trabalhar na Funai.Agora por conta de um decreto irresponssavel, o Sr. presidente da Funai com o aval do sr. Luis Lula Inacio da Silva, eles simplesmente acabaram de decretar a falencia da Funai com relação ao atendimento as comunidades indigenas em todo o país. Daqui para frente, mesmo voce entrando para se incorpora a equipe dos servidores da Funai , não fique frustado com o que vai observar, mas as manistações que estão ocorrendo em todo o país contra o decreto não está sendo em vão. Agente quer trabalhar mas não temos o que fazer, isto esta acontecendo em todas as unidades técnicar e regionais em todo o brasil, se falaram em mais de 1000, servidores parados o colega é muto otimista toda estrutura da Funai encontra-se parada, só viagens para não fazerem nada com excessão das comissões que já estavam prevista mas para obedecer a Lei.
desculpe-me se fui mal no comentario mas agradeço-lhe a oportunidade do esclarecimento.

Anônimo disse...

SR. COORDENADOR DE PAULO AFONSO, TENHA MUITO CUIDADO COM OS PEDIDIS DOS IRRESPONSAVEIS QUE ADMINISTRAM A COORDENADORI DE MACEIÓ, ELES SEMPRE ALEGAM QUE NÃO TEEM NADA E PEDE COUSAS ABSURDAS, NO FUTURO VOCES É QUEM DEVEM RESPONDER PORISSO NÃO DIGAM QUE NÃO LHE AVISEI, O CASO É SERIO E VOCE JÁ É BEM GRANDINHO PARA NÃO SABER AS MALICIAS DESTA EQUIPE QUE TEM ASSESSORIA MAQUIAVELICA DO SR. ALUISIO PINDAIA, QUE FUTURAMENTE VAI RESPONDER POR TODO MAL QUE TEEM FEITO AS COMUNIDADES INDIGENAS, ASSIMO COM O TODO PODESOSO PRESIDENTE DA FUNAI, ATENÇÃO INDIGENAS DE PAULO AFONSO E DE MACEIÓ TENHAM CUIDADO COM AS VERBAS DE VOCES PARA NÃO SEREM MISTURADAS COM AS DE PERNAMBUCO POIS JÁ GASTARAM TUDO E NÃO TEEM MAIS NADA PARA ESTE ANO, E OS ACORDOS JA FORAM FEITOS E NÃO PODEM VOLTAR ATRAS. A SITUAÇÃO DELES DIRIGENTES PORAQUI É MUITO DIFICIL, OS INDIOS DE PERNAMBUCO QUEREM MAIS E A VERBA ACABOU CUIDADO! SE NÃO , NÃO VAI SOBRAR NADA PARA NINGUÉM

Anônimo disse...

O COORDENADOR REGIONAL DE FORTALEZA NÃO FAZ NADA ALÉM DE TORRAR O DINHEIRO COM DIÁRIAS PARA SI E SEUS CHEGADOS, ENQUANTO ISSO AS COORDENAÇÕES TÉCNICAS QUE FICARAM SUBORDINADAS AQUELA COORDENAÇÃO FICAM ADMINISTRANDO TODO O TIPO DE PROBLEMAS E OUVINDO DESAFOROS DO MESMO QUE TEM AMEAÇADO CONSTANTEMENTE OS SERVIDORES. A COORDENAÇÃO REGIONAL DE FORTALEZA ESTÁ A QUASE 15 DIAS PARADA PQ O COORDENADOR SAIU DE FÉRIAS COM SUA ESPOSA E SEM OS DOIS NADA FUNCIONA, POIS SOMENTE ELES AUTORIZAM QUALQUER COISA E O A LEI CONTRA O NEPOTISMO COMO FICA? - É UMA VERGONHA O QUE ESTÁ ACONTECENDO - QUEM PODERÁ NOS SALVAR???

Anônimo disse...

Anônimo das 09h54, muito obrigado pelos esclarecimentos!
.
Companheiro anônimo das 8h58, sou eu o tadinho incapaz de compreender sarcasmo. Desculpe-me pela ingenuidade. Pois é, ainda acredito que as pessoas tem bom coração. Muito obrigado por iluminar minha vida com sua sabedoria divina! Certamente sua magnífica sabedoria é muito útil aos povos indígenas, a julgar pelo seu ilustríssimo comentário.

Anônimo disse...

O MERCIO E AQUELE CARA QUE OCUPA O DAS NA FUNAI DESDE OS PRIMORDIOS DA FUNAI JA ESTA APOSENTADO MAS, ENTRA E SAI PRESIDENTE E ELE TA LA DE BOA SOUBE QYE ELE É AMIGO DE UMA AUTORIDADE NO MINISTERIO E ELA QUE SEGURA ELE, O QUE TEM A ME DIZER DISSO AGORA TE PERGUNTO PODE ALQUEM APOSENTAR COM A FUNSÃO DE DAS... AH. E QUE ELE SÓ SABE FALA "SIM SENHO POIS NÃO..."
RESPONDA URGENTE...

Anônimo disse...

Lei eleitoral restringe atos de agentes públicos a partir de hoje
Agência Brasil

Publicação: 03/07/2010 12:18 Atualização: 03/07/2010 13:32

Deste sábado (3) até a posse dos candidatos que forem eleitos no pleito deste ano, agentes públicos não podem nomear, contratar ou admitir, demitir sem justa causa, transferir ou exonerar servidor público até a data da posse dos eleitos. Isso porque a legislação eleitoral restringe várias ações dos agentes públicos três meses antes e três meses depois das eleições.

A lei permite que sejam realizados concursos nesse período, mas os aprovados terão de esperar a posse dos eleitores para serem nomeados. É permitido também a nomeação ou exoneração de ocupantes de cargos em comissão e designação ou dispensa de funções de confiança e a nomeação para cargos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos Tribunais ou Conselhos de Contas e dos órgãos da Presidência da República.

Os agentes públicos também não podem mais fazer transferências voluntárias de recursos da União aos estados e municípios e dos estados aos municípios, sob pena de nulidade. A exceção é para os recursos destinados a obras e serviços já contratados. É permitido ainda a transferência de recursos para atender situações de calamidade ou emergência.

Os agentes públicos cujos cargos estão em disputa também não podem, a partir de hoje, fazer pronunciamentos em cadeia nacional de rádio e televisão. A única exceção para pronunciamento é, a critério da Justiça Eleitoral, para matéria urgente, relevante e característica das funções de governo.

Também não é permitido autorizar publicidade institucional dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos municipais ou das respectivas entidades da administração indireta, salvo em caso de grave e urgente necessidade pública, assim reconhecida pela Justiça Eleitoral. No entanto, pode ser realizada propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado.

Para os candidatos a qualquer cargo é proibido comparecer a inaugurações de obras públicas. Quem desobedecer as regras da lei poderá ser multado de 5 a 100 mil ufirs, que varia de R$ 5,32 a R$ 106.400,00

Anônimo disse...

Caramba!
O anônino que falou de Fortaleza tem razão.
Estão na pior e o Sr. Paulo, se achando um REI, dando cartas à sua maneira e sacaneando com todos da Coordenação de João Pessoa/PB.
Mas veja, o novo Coordenador de J.Pessoa/PB é um ZERO à esquerda, não sabe de nada. Um péssimo Administrador. A FUNAI lá está se acabando e o Sr. Paulo está se aproveitando para enterrá-la de vez.
Vamos dar a Cesar ao que é de Cesar.
Tem funcionário na Coordenação de João Pessoa que passa o dia todo na Internet, jogando paciência, chega na hora que bem entende e sái cedo todos os dias, quando vêm. Vão trabalhar...vocês recebem salário para trabalhar não é?

Anônimo disse...

SÓ PARA ESCLARECER E ATUALIZAR MEU CADASTRO AQUI NO NORDESTE, COORDENAÇÕES EM FUNCIONAMENTO OU NÃO. VAMOS COMEÇAR POR:
JOÃO PESSOA TECNICA - PARADA
RECIFE - TÉCNICA - PARADA
MACEIÓ - REGIONAL PARADA
FORTALEZA REGIONAL - PARADA
SÃO LUIS TECNICA- PARADA
IMPRETRIZ - REGIONAL PARADA
PAULO AFONSO- COMPROMETIDA ATRAVES DE COMPROMISSOS ASSUMIDOS PARA OUTRAS COORDENADORIAS APARENTEMENTE FUNCIONAREM, EX- POSTOS INDIGENAS , NENHUM EM FUNCIONAMENTO. ESTE É O RETRATO ATUAL DO PURO DESCASOS COM O INDIGENISMO BRASILEIRO.

Anônimo disse...

Floripa = ativa
Passo Fundo = Ativa
Chapeco = Ativa
Xingu = Ativa
Manaus = Ativa
Colider = Ativa
Tocantins = Ativa

Anônimo disse...

ATENÇÃO COLEGAS INDIGENAS DO ACAMPAMENTO REVOLUCIONARIO, SERÁ VERDADE OU SERÁ MENTIRA O QUE O ANONIMO DO COMENTARIO DAS 18:56, ESTA FALANDO,ESTES DADOS ESTÁ FUGINDO O AO MEU CRIVO DE INFORMAÇÕES POIS ESTOU DIRECIONADO AO NORDESTE. GOSTARIA DE MAIS INFORMAÇÕES PARA NÃO COMETERMOS INJUSTIÇA A FINAL DE CONTAS ESTE BLOG É DEMOCRATICO. QUALQUER CORDENADORIA TÉCNICA QUE NÃO ESTIVER FUNCIONANDO OU VOCES SOUBEREM DE ALGUMA QUE ESTA FUNCIONANDO NOS INFORME POIS TEM MAIS DE 250 COORDENADORIAS TÉCNICAS EM TODO O BRASIL E MAIS COORDENADORIAS REGIONAIS NÃO PRECISAM SE IDENTIFICAREM POIS PODE HAVER REPRESALIAS, VAMOS AJUDA-LOS VOCE FALA DA MINHA E EU FALO DA SUA A COMUNICAÇÃO PODE SER ENTRE NOS OS RESULTADOS COLOQUEM NO BLOG DO MERCIO. VAMOS VER ATÉ QUE PONTO ESTE DECRETO FUNCIONA OU NÃO.

Anônimo disse...

Coordenação e técnicas xavante : caos

Anônimo disse...

CORDENAÇÃO REGIONAL DE JUINA E SUAS DEZ CTL NA ATIVA 100%

PEREIRA MIGUÉ

Anônimo disse...

Nas Coordenações Regionais e Coordenações Técnicas Locais que não estão funcionando, não atendem os indígenas ou se dizem extintas são os locais onde encontramos os servidores mais picaretas na Funai. Se não funciona é porque o servidor não quer. Se não atende o indígena, é porque o servidor não quer. Se não desenvolve nenhuma atividade é porque o servidor não quer. Todas as unidades devem continuar trabalhando, desenvolvendo ações, basta ter boa vontade de quem está lá, ou alguma vontade, pelo menos.

Anônimo disse...

CONTINUAM AS BAIXARIAS NESTE BLOG.
A HORA É DE UNIÃO E NÃO DE BRIGAS.
NÃO VEJO A COORD. DE J.PESSOA TÃO RUIM ASSIM COMO FOI COMENTADO ACIMA.

TEM AS PESSOAS QUE TRABALHAM E NUNCA PARARAM DE TRABALHAR E ÀQUELES QUE NUNCA TRABALHARAM, CONTINUAM NA VAGABUNDAGEM, PENSANDO QUE ESTÃO ENGANANDO A TODOS NÓS.

SOMOS SABEDORES DOS PICARETAS DAQUI DA FUNAI/JPA, MAS DESSE TIPO, A FUNAI ESTÁ CHEIA, ISSO NÃO É SÓ MÉRITO DA FUNAI/JPA.

QUANTO A GESTÃO DO CORRDENADOR/ÍNDIO, TODOS NOS SABEMOS QUE, EM TODA ESTÓRIA DA FUNAI, NUNCA DEU CERTO UM ÍNDIO EM CHEFIA, ATÉ HOJE, PODE SER QUE AINDA APAREÇA ALGUM.

Anônimo disse...

JUINA está mesmo na ativa (muito ativa e faz tempo)!!!!

O Coordenador é ótimo, esperto, aliás muito esperto e "competente"...

Parabéns !!! Deve ter algum segredo por trás disso... (será que ningupem sabe?)

A propósito, tem muita gente olhando pra você.....

Anônimo disse...

Onde tem coordenadores aliados da gestão de repressão contra os índios, as Coordenações estão recebendo $$$ e funcionando, corrompendo índios e exercendo o poder de "chamar a polícia"

Anônimo disse...

GOSTARIA DE SABER COMO ANDAM AS CORDENADORIAS TÉCNICAS DOS ESTADOS DA PARAIBA, PERNAMBUCO,ALAGOAS,SERGIPE, CEARÁ, BAHIA, E O MARANHÃO, BEM COMO O FUNCIONAMENTO DAS COORDENADORIAS TECNICAS DE JOÃO PESSOA,RECIFE, SÃO LUIS, ALÉM DAS COORDENADORIAS REGIONAIS LOCALIZADAS EM FORTALEZA,MACEIÓ, PAULO AFONSO, IMPERATRIZ E EUNAPOLIS, SEGUNDO ME CONSTA TODAS ESTÃO FUNCIONANDO NORMALMENTE, GOSTARIA DESTA CONFIRMAÇÃO,

waldira disse...

Caro anônimo,

Ao anônimo do dia 5 de julho de 2010 18:56, gostaria de perguntar se ativa, significa em pleno funcionamento ou em condições precárias? Ativa significa as portas abertas? Sim assim o for, todas estão ativas, até porque umas são regionais e outras locais. E ao mesmo tempo respondo ao comentário efetuado, no dia 6 de julho de 2010 10:51. Se não desenvolvem nenhuma atividade é porque o servidor não quer. Todas as unidades devem continuar trabalhando, desenvolvendo ações. Pergunto que ações? Favor me informar as ações realizadas por vocês, pois nunca soube que boa vontade resolve, e sim encontra funcionando, parabéns, deve ser uma das poucas. Passe a receita pra os demais servidores que estão perdidos a espera de fatos concretos. Quanto ao comentário do dia 6 de julho de 2010, 10:54, sobre João Pessoa as coisas não estão maravilhosas como afirmaram, estive lá e conversei com alguns servidores e os mesmos disseram que as ações que estão sendo realizadas, foram as já planejadas e de parcerias concretizada antes do Decreto, nada novo e após Decreto. Desculpas os amigos de JP, porém não podemos tapar o sol com a peneira e sei que não por culpa dos servidores e sim por falta de um Regimento Interno e da distância entre a Regional que dista quase 12 horas de viagem. E outro fator importante, JP coordenação local sem maiores problemas, ficou subordinada a uma regional recém criada, sem grandes problemas, enquanto a de Recife ficou subordinada a outra problemática. Não devemos avaliar as coisas individualmente e sim como um conjunto. A FUNAI é uma Instituição única e não várias instituições agrupadas por regiões. E concordo em dizer que os que não querem nada com a vida, não é uma prerrogativa de João Pessoa, em todas as regiões e sede também. Aliás é uma prerrogativa de uns poucos servidores públicos, graças a Deus, pois a imagem dos servidores já é péssima com esse percentual, imaginem com percentual maior. Seríamos todos preguiçosos. Vamos falar de coisa séria e aproveitável. Os índios não precisam das nossas farpas.

Anônimo disse...

Ao postante de "6 de julho de 2010 20:39", presto-lhes refutar vosso comentario, quanto ao coordenador da FUNAI em Juina não posso atestar toda a sua "competencia" como voce diz num tom ironico e sarcastico, porem eu como servidor de um orgão ambiental da região a seis anos de contato e estreita relação com os indigenas RIKBAKTSA, ENAWENE-NAWE, ARARA,APYAKA,KAYABI,CINTA-LARGA e outros povos indigenas aqui da região, só tenho percebido sinceros elogios ao administrador da Funai aqui por estas bandas, o que não ocorre em algumas regionais da funai no Brasil, no qual tive amargas experiencias interistitucional, e aqui a realidade é outra, pelo que percebo o conteto da clientela indigena, creio que juina e suas afiliadas(ctls) estão realmente na ativa e cumprindo o papel constitucional de um orgão oficial indigenista. Outras coisa, aon invés de ficarem de olho no cara, "A propósito, tem muita gente olhando pra você....." , seria bom apoiá-lo no crescimento da Funai na região bem como autonomia dos povos indigenas ali atendidos. A inveja é uma das piores e malditas chagas que um ser humano possa ter. Deus abençoe voce caro amigo(a), a nossa estadia neste plano terrestre é passageiro e breve, é apenas uma fase de expiação, evoluir espiritualmente nada mais é que ter certeza da nossa inferioridade e a grandeza de poder alcançar a capacidade de sempre fazer e desejar o bem aos nossos irmãos.

PEREIRA MIGUÉ

Itacir disse...

E a FUNAI de Amambai MS, no pacote de Reestruturação mudaram a sede para Ponta Porã MS para acomodar a mulher de um vereador de Dourados MS, tudo porque fica mais próximo a Dourados e mais longe das comunidades indígenas que precisa prestar atendimento
Justificam que mudaram para Ponta Porã para ficar mais próximos a Justiça Federal.
Essa mudança foi para ficar mais longe dos indios, creio que se sentem incomodados com a presença deles.
E OS INDIOS ÓÓÓÓ... Vão chupar o dedo.

E agora o marido da tal chefe da FUNAI de Ponta Porã, é candidato a deputado estadual numa das alas mais safada de um partido.
A equipe dela vai controlar a compra de votos para o marido nas aldeias do sul do estado de MS.

 
Share