terça-feira, 1 de junho de 2010

ATENÇÃO: URGENTE: ACAMPAMENTO INDÍGENA REVOLUCIONÁRIO CERCADO PELA POLÍCIA

O ACAMPAMENTO INDÍGENA REVOLUCIONÁRIO FOI CERCADO HOJE DE MADRUGADA POR 15 VIATURAS DA POLÍCIA MILITAR, ARMADOS COM FUZIS E CÃES DE ATAQUE!!!!!

Uma parte da Imprensa já se encontra no local.

Os índios resistem ao deslocamento do Acampamento para 1 km de distância do Ministério da Justiça.

Os índios da CNPI estão fazendo o jogo sujo da atual direção da FUNAI, tentando convencer os líderes do Acampamento a se deslocar e que assim abririam para a presença de dois representantes nas reuniões da CNPI. Ora, mas o Acampamento Indígena Revolucionário considera a CNPI ilegítima por ter sido rejeitada pelo Congresso Nacional, inclusive.

É UMA VERGONHA BRASILEIRA O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM BRASÍLIA.

Os índios Guajajara somam mais de 300. Os Kayapó chegaram e se juntaram ao Movimento.

Vamos acompanhar e torcer para que tudo saia bem, sem violência e com a vitória do ACAMPAMENTO INDÍGENA REVOLUCIONÁRIO.

11 comentários:

Anônimo disse...

o policia deveria ser usada para combater criminosos, que se tratando de Brasília, uma das capitais mais violentas do pais não é pouca. Acho absurdo usar forca policial, inclusive com caes, contra índios, mulheres e criancas, que só reivindicam passificamente seus direitos

Anônimo disse...

Dois membros da CNPI estiveram no AIR ontem a noite e viram "in loco" a situação dos parentes e as suas demandas. Os índios do AIR querem ter dois representantes assistindo a reunião da CNPI. O que se passa dentro da CNPI, que nem os parentes podem saber? Os não índios, que tb fazem parte da CNPI, entram e os maiores interessados são barrados com a presença ostensiva da polícia.
Ouvir, dialogar é tão simples, pra que tanta violência.

Anônimo disse...

Os que se dizem indigenistas estão precisando de reciclagem. Diante de uma situação calamitosa desta, tds ficam parados. Gente temos um compromisso com os índios. Temos que dá um basta nisso. Vamos nos unir e estabelecer um diálogo, já que a cúpula da FUNAI não esta sabendo conduzir e não tem humildade de convocar quem sabe lidar com esses povos.

estela disse...

Sei que voces estão lutando pelo que acreditam, já são vitoriosos. Mas como sempre, juntos, com conversas, conseguimos conquistar o atendimento as suas necessidades, continuem usando do diálogo e por favor não se exponham a enfrentar a polícia, pois eles não são preparados para o diálogo com índios e sim para manter a segurança do país. Com voces as coisas são diferentes. Ganhem, conquistando parceiros, dialogando, apresentando as suas propostas, manifestando as insatisfações, mas nunca usem da força de guerreiros que vcs tem contra pessoas que acham que estão desenvolvendo as suas atribuições.
Quero ver uma luta digna, sem uma gota de sangue.

Caetaneando disse...

SERÁ QUE OS ÍNDIOS CONSEGUEM PERCEBER QUE AS MESMAS INSTITUIÇÕES E ONG'S QUE APOIAM E DEFENDEM A REESTRUTURAÇÃO DA FUNAI, SÃO AS MESMAS QUE APOIAM O USO DA POLICIA PARA CALAR OS ÍNDIOS QUE, ALIÁS, NEM FORAM OUVIDOS SOBRE ESSA MUDANÇA!

POR OUTRO LADO, NOS RINCÕES, SÃO ALIADAS DOS ÍNDIOS NA LUTA CONTRA PROJETOS GOVERNAMENTAIS.

INVERSÃO DE VALORES, PURA DEMAGOGIA OU "SAMBA DO CRIOULO DOIDO"?

Anônimo disse...

Índios acampados resistem à retirada da Esplanada dos Ministérios


Fernanda Lobo - Correio Braziliense

Publicação: 01/06/2010 12:12 Atualização: 01/06/2010 16:01



Cerca de 60 indios acampados resistem à retirada da Esplanada
Apesar de uma ordem judicial, o grupo de 60 índios, acampados em frente ao Ministério da Justiça desde janeiro deste ano, resistem em deixar o local. Desde das 07h30 desta terça-feira (1º/6), oitenta homens da Polícia Federal, da Polícia Militar e do Bope tentam pacificamente retirar os indígenas. A liminar da 6ª Vara Federal determina que os indígenas mantenham pelo menos mil metros de distância do prédio do órgão público.

O acampamento é uma manifestação para solicitar a revogação do Decreto Presidencial 7.056/09 - que extingue 40 administrações regionais, 337 polos indígenas e substitui antigos servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai). Ao todo, 15 administrações serão fechadas ou reestruturadas em diversos estados do país. Entre elas, a da Paraíba e a do Recife. Os índios ainda querem a destituição do cargo do presidente da fundação, Márcio Meira.


Impasse

Apesar do esforço da procuradora Luciana Loureira em negociar, um impasse se estabeleceu. Os indígenas dizem que só sairão se antes puderem se reunir com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Uma representante do ministro, no entanto, afirma que Barreto exige a saída do grupo para que a encontro aconteça.

Um dos líderes dos manifestantes disse ainda que uma tradição milenar os impede de deixar o acampamento: uma menina de 12 anos teve a sua primeira menstruação e, segundo o índio, deve ficar isolada por pelo menos sete dias.



Saiba mais...
Polícia Federal retira índios da Esplanada dos Ministérios nesta terça
Índios continuam protestos e pedem audiência com presidente Lula Tensão
No momento em que um policial armado da Polícia Federal tentava se aproximar do grupo, um dos índios se ajoelhou na frente dele e o desafiou a atirar nele. Houve um princípio de empurra-empurra mas o policial recuou.

Trânsito
O ato causou transtornos aos motoristas que passam pala Esplanada dos Ministérios nesta manhã. A Polícia Militar interditou duas faixas da via N-1, no Eixo Monumental, sentido Praça dos Três Poderes-Rodoviária do Plano Piloto.

Com informações de Saulo Araújo

Caetaneando disse...

ESCLARECENDO: Quando digo DEMAGOGIA, não me refiro aos indígenas e sim, a ONG's oportunistas, manipuladoras de índios e servidores, pois, até onde sabemos, felizmente esta palavra, pelo menos em seu sentido real, não faz parte do vocabulário de nenhum etnia.

Caetaneando disse...

Índios conseguem liminar para ficar e policiais se retiram da Esplanada

Mônica Harada e Rodrigo Couto

Publicação: 01/06/2010 16:05 Atualização: 01/06/2010 16:49

Índios acampados permanecem na Esplanada dos Ministérios - (Gustavo Moreno/CB/D.A Press )

Os 80 homens da Polícia Federal, da Polícia Militar e do Bope que tentavam retirar os índios pacificamente da Esplanada dos Ministérios acabam de se retirar do local. A juíza Maria cecília Rocha, da 6ª Vara Federal de Brasília, concedeu aos índios uma liminar para que eles permaneçam em frente ao Ministério da Justiça.

A justificativa para que a juíza - a mesma que mais cedo determinou que os indígenas ficassem a pelo menos mil metros de distância do prédio - voltasse atrás em sua decisão foi o fato da adolescente Márcia Regina Santana, de 12 anos, da tribo Guajajara do Maranhão, ter menstruado pela primeira vez neste sábado. De acordo com a tradição milenar, a menina deve ficar isolada por sete dias. A juíza entendeu que seria um desrespeito à cultura deles retirá-los nessas condições.

Com a liminar, cerca de 300 índios de 12 etnias diferentes, a maioria do nordeste, permanecem acampados em frente ao Ministério.

Os manifestantes querem a revogação do Decreto Presidencial 7.056/09 - que extingue 40 administrações regionais, 337 polos indígenas e substitui antigos servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai). Ao todo, 15 administrações serão fechadas ou reestruturadas em diversos estados do país. Entre elas, a da Paraíba e a do Recife. Os índios ainda querem a destituição do cargo do presidente da fundação, Márcio Meira.

www.correiobraziliense.com.br

AINDA RESTA UM POUCO DE BOM SENSO...E O CAMINHO É ESSE!!!

Anônimo disse...

È engraçado, as coisas se inverteram, quem deveria ter bom censo era osa gestores da FUNAI, as ONG´s que se dizem defensoras dos povos indígenas, da CNPI que tem representantes indígenas, os parlamentares representantes do povo, a Juíza representante da Lei, os policiais que tem como objetivo o cumprimento da ordem e da paz. E no entanto, o que vejo, os índios é que estão tentanto fazer tudo isso. O não a violência partiram desses guerreiros, o bom censo foram deles. O que eles querem? Apenas serem ouvidos, no intuíto de chamar a razão dos sem razões. Preservar seus direitos. Nós fazemos isso todos os dias e porque apenas eles não podem. Será que os demais indígenas que apoiando esse decreto apenas fortalece os não índios, e acima de tudo levando a um objetivo bem planejado - A DIVISÃO DE TODOS VOCÊS. Dessa forma os índios entram em conflitos entre si e enfraquecem e os brancos ficam mais unidos e se fortalecem e ganham com todos esses desencontros de contra e a favor. Se querem ganhar e preservar-se - UNIAM-SE. Sintam orgulho dos guerreiros que estão no acampamento. E o melhor que a vitória estar chegando sem qualquer ato de violência sangreta. A violência foi cometida pelos defensores e detendores da Lei, que trataram os índios igual ou pior a bandidos de alto grau. Atiradores de elite, tenha a Santa Paciência. No momento os lobos ão são os in´dígenas e sim os gestores da FUNAI, fico envergonhada e constrangida de afirmar isso, porém é uma verdade que todos nos que fazemos parte desta instituição, temos que encarar, de toda sorte a culpa maior é nossa, que cruzamos os braços e deixamos as coisas chegarem a esse ponto, e todos que vinheram de fora fizeram e baixamos a cebça e fechamos os olhos como se nada pudéssemos fazer ao descruzar os braços e abrir os olhos. Porém nunca é tarde pra recomeçar. Portanto recomeçemos. A LUTA servidores e índios, sem vergonha e sem medo.

Anônimo disse...

Os indígenas do CNPI precisam parar de servir aos interesses anti-indígenas. PEÇAM PARA SAIR DO CNPI.

waldira disse...

Oi Mércio,

Não sei o que houve, porém novamente postei comentário sem identificação e não gosto de ficar escondida, a postagem em 1 de junho de 2010 20:41, o qual falo sobre inversões de ações de gestores da FUNAI, as ONG´s que se dizem defensoras dos povos indígenas, da CNPI que tem representantes indígenas, os parlamentares representantes do povo, a Juíza representante da Lei e dos policiais. A LUTA servidores e índios, sem vergonha e sem medo.
esqueci de colocar meu nome: Waldira - recife

 
Share