segunda-feira, 12 de abril de 2010

Servidores da Funai protestam contra Portaria 546


PROTESTO CONTRA A FUNAI E O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA
CONTRA A PORTARIA nº 564 QUE INSTITUI A GUARDA NACIONAL NA PORTA DA FUNAI
COM ARMAS LETAIS PARA SEREM USADAS CONTRA TERCEIROS:
QUEM SERÃO ESSES TERCEIROS, SENÃO OS ÍNDIOS??

A portaria nº 564, de 8 de abril de 2010, que legitima o uso de armas letais contra terceiros, foi assinada pelo atual ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Esta portaria destina-se a ser utilizada na Funai, sob as ordens da Funai.
Você, SERVIDOR DA FUNAI, Funcionário Público da União, acredita, apóia, aplaude, está conivente com esta iniciativa?
Eu protesto. Em silêncio. Mas te convido a romper o teu silêncio. Assim, juntos, poderemos romper ou ao menos tentar, interromper um processo criminoso que se instalou nesta instituição REPUBLICANA.
Acordemos. Ainda há tempo.
Tens dúvidas sobre o quê fazer? Está bem. Dúvidas, quando as temos, são sinais de mudança, que nos permite consolidar nossas visões e prosseguir na luta. Então, parem! Vamos indagar. Apenas pergunte aos nossos dirigentes e ao Ministro da Justiça. O que eles estão fazendo com a FUNDAÇÃO NACIONAL DO INDIO?
“Quem são vocês, o que querem, que interesses representam? O que querem de nós? Que sejamos vassalos, lacaios, que entreguemos nossas almas?”
Parem. Gritem, façam-se ouvidos. E depois sigam seus caminhos. Não fazer isto será imperdoável.
Foi para isso que lutamos e idealizamos estar nesta instituição, que vimos tantos amigos lutarem por um ideal e até perderem suas vidas?
Simples assim. Mandem um email, liguem para o Ministério da justiça, para a Casa Civil, para o Congresso Nacional, para a imprensa. Protestem e guardem a lembrança desse protesto em seus corações e em suas paredes de trabalho.
“USO DE ARMAS LETAIS? EU NÃO ACEITO!”
Assim, quando eles, os índios, que vierem a perder seus parentes na Comemoração dos 100 anos de Política Indigenista, perguntarem onde estávamos e o que fizemos nesse momento crucial da FUNAI, ao menos poderemos olhar para a parede e lá vermos a nossa resposta. Não ficamos em silêncio, não nos acovardamos.

25 comentários:

WILIAN disse...

Ola Caro Mércio!!!
Acho que vc tem toda a razão em seus comentários. Chegou ao cúmulo do abuso de autoridade,é ditadura pura. Cadê o direito de ir e vir (liberdade), cadê a democracia,o que eles pensam da palavra "púbico" (órgão público). Acredito que todos nós da FUNAI estamos revoltados com essas bárbaries que vem ocorrendo com nosso órgão indigenista. Porém temos poucos recursos para lutarmos. Precisamos de parceiros com VC.
Gostaria de surgerir aos colegas que navegam neste conseituado blog. fazermos em cada unidade uma carta endereçada ao Sr.Ministro da Justiça. Acredito que ele desconhece muitas dessas situações que vem ocorrendo na FUNAI.
Abraços
Wilian

Waldira disse...

OI Mércio,

A que ponto chegamos enquanto servidores. Estou chocada com essa Portaria, isso é um sinal claro de que realmente acabaram com a FUNAI. Nunca em toda minha vida conseguiria imaginar algo tão abusivo. Deus, custo a acreditar em tudo que está acontecendo e ninguém faz nada, discordo de wilian que temos poucos recursos, temos todos os recursos disponíveis, o nosso conhecimento e experiência que é um passo a frente de todos eles. Porém nós servidores estamos acovardados, uns com medo de perseguição, outros por medo do recomeçar. É mais difícil encarar nossa covardia e no entanto estamos encarando segundo a segundo, depois disso, o que vier pela frente é fichinha. Gente ser subordinado é uma coisa, porém ser capacho é aviltrante. Essa Portaria não é apenas uma afronta contra nós e sim contra os índios também, nosso público alvo. Uma luta se ganha com sabedoria e coragem de outra forma, melhor nem começar. CRIEM CORAGEM SERVIDORES, amanhã pode ser com vocês e não apenas com a FUNAI. Isso sim é uma VERGONHA. A ELEIÇÃO VEM AÍ, VAMOS DETONAR.

WALDIRA

Anônimo disse...

Parabéns Waldira,Wilian, pelas palavras...Isso mesmo A ELEIÇÃO VEM AI......

estela disse...

Chegou abril. Mês que comemoravamos o dia do índio.
Mês que muitos índios divulgavam suas culturas e vendiam seus artesanatos para a sobrevivência. Mês que tínhamos uma programação de visitas as escolas para contar a verdadeira história dos primeiros habitantes desta terra.
Nos cem anos do indigenísmo no Brasil, não temos nada para comemorar, nada para oferecer, nada de bom para divulgar. A demanda é grande, mas não temos condições de atender. A FUNAI não mais valoriza este tipo de trabalho. É muito triste.

Anônimo disse...

E aquela história de "morrer se preciso for, matar jamais"? Ficou pra trás, que vergonha, bem nesse ano centenário! Pô, eu vendo de fora achava tão bonito, admirava esses bravos guerreiros brancos. E esses sertanistas urbanos de apartamento de hoje (CTI?) seguem qual lema que aprenderam na faculdade?
Daqui a pouco a Funai vai entrar naquela: querem índio, então levem pra vocês, Cameron!

Moacir Melo disse...

Nunca, jamais, poderíamos imaginar que nos dias de hoje, em pleno estado de direito demócratico, estamos vivendo no indigenismo, dias de ditadura como nos tempos dos coronéis que antes reinaram soberanos na Funai! Mas, porém é importante lembrar, que mesmo assim, os índios e indigenistas eram recebidos e tinham livre acesso ao prédio da Funai!
Moacir Melo
Indigenista

Blog do Walfredo disse...

Nos tempos da ditadura, muitos de nós estávamos perdidos nas florestas matogrossenses e amazônicas. Recebíamos a visita de Generais e Coronéis que dirigiam a FUNAI e nunca vimos nem ouvimos um índio ser destratado por aquelas autoridades. Hoje o índio se envergonha de ser índio e os indigenistas se escondem atrás do anonimato para não sofrerem perseguição. Isto, num país que tem o Presidente mais democrata do mundo, como ele mesmo disse a semana passada num programa de televisão. Vamos gritar para o mundo. Gente do Irã, de Cuba e de outras ditaduras usam a internet para denunciar. Chegamos ao limite.

Marcelo disse...

Concordo com a Waldira:


Os servidores da funai sem exceção todos perfeitos covardes!


Marcelo

Linda disse...

Caros amigos,

Eu não acredito mais no país chamado Brasil!

Anônimo disse...

Mas no tempo dos Coroneis havia respeito, os servidores antigos lutavam por uma FUNAI melhor, hoje muitos deles lutam para Manter o Cargo

Linda disse...

Caros amigos,

segundo Arnaldo Jabor, "a política está tão repulsiva que é melhor falar de sexo". Uma grande verdade!

E nada do que está acontecendo me surpreende.
E tudo em nome da democracia:
a reestruturação da FUNAI;
a oficialização da Guarda Nacional para coibir a entrada de índios, servidores e sociedade no prédio da FUNAI em Brasília;
o grande desrespeito aos povos indígenas e, para completar, para fechar com "chave de ouro", a construção da Usina Belo Monte!

Temos ou eu tenho, motivos suficiente para desacreditar no Brasil, nos políticos, nas instituições e nos seus dirigentes...

Eu só peço a Deus - que nossos netos ou bisnetos possam ter, e ver
um Brasil diferente. Políticos diferentes, comprometidos, decentes, honestos, íntegros...
Que a futura geração possa um dia, quem sabe, ter orgulho de ser e acreditar no país chamado Brasil!

estela disse...

Linda,

as futuras gerações irão colher nossas sementes, se não plantarmos logo, eles permanecerão mais inertes do que nós.
Portanto, temos a obrigação moral de mudarmos a cara ds Brasil,com nossas lutas, unidos e principalmente com nosso voto.

水慧 disse...

^^ 謝謝你的分享,祝你生活永遠多彩多姿!........................................

Linda disse...

Estela,

segunda-feira estarei voltando de minhas férias. E é claro que vou estar engajada na luta com todos vocês - pela FUNAI, pelos índios e por todos companheiros de muitos anos...
E como bem disse Waldira, não podemos e nem devemos nos acovardar, nos omitir, ficarmos em silêncio e "trancados" feito uma ostra...
Saudades,
Linda

Anônimo disse...

Não se pode dizer que, "todos os servidores são covardes", o governo não nos deixou saídas, ou deixou?

Estamos encurralados e sem ter a quem pedir. Em nome do PAC estamos sofrendo tudo isso, quem é que vai lutar contra esse governo onde o Presidente da República possui 75% de aprovação.

Vc que nos intitulou de "covardes", vc tem a solução para os problemas que estão ocorrendo na FUNAI? Se tem, coloque em prática enquanto é tempo.

Abraços a todos.

Márcia

Anônimo disse...

Será que um dia estaremos livres deste pesadelo? Será que iremos mudar todos os demandos ocasionado por este pesadelo que esta instalado da FUNAI? Não adianta Ansef tentar interceder. Mas o Sindicato teria força para interceder e buscar meios de modificar todos os maleficios ocasionados.
O sábio não se senta para lamentar-se, mas se põe alegremente em sua tarefa de consertar o dano feito.
Sábio é o ser humano que tem coragem de ir diante do espelho da sua alma para reconhecer seus erros e fracassos e utilizá-los para plantar as mais belas sementes no terreno de sua inteligência.
Que a luta continue.
abraços....
Paulo.

Linda disse...

Olá Márcia,

eu não disse que todos os servidores são covardes. Apenas escrevi - "não podemos e nem devemos nos acovardar, nos omitir, ficarmos em silêncio e "trancados" feito uma ostra"...
Certamente que se tivesse a solução, a varinha mágica para todos os problemas que estão ocorrendo na FUNAI, já teria posto em prática...
A nossa luta é quase solitária. Fomos esquecidos e praticamente abandonados pelo poder público. Os índios não estão sendo ouvidos,nem tampouco os servidores...O rolo compressor é pesado demais, grande demais. Os nossos políticos estão surdos, cegos e insensíveis com a causa indígena e o governo federal está exclusivamente preocupado com as eleições que estão se aproximando... E o que faremos???
Escolha. Uma cuidadosa escolha... Tempos opção para uma boa escolha?
Sinceramente não sei... Na minha primeira postagem, lá em cima, eu disse que não acreditava mais no país chamado Brasil. E não acredito mesmo. Não acredito no PAC - com projetos que são destruidores, como é caso da construção da Usina Belo Monte - que tem propostas de arrebentar, de comprometer o meio ambiente e deixar à margem, soltos e talvez sem saída - milhares de famílias indígenas e ribeirinhos que vivem e tiram o seu próprio sustento para sua sobrevivência naquela região.
O presidente da república, o ministro da Justiça e o próprio Márcio Meira - não estão interessados ou sensibilizados com os problemas indígenas brasileiros...
Gostaria muito que Deus, lá de cima, do alto, com seu poder divino - apontasse a soluçao, nos indicasse sabiamente a pessoa certa para fazer do Brasil uma nação mais humana, menos capitalista e voltado para o crescimento sério sem necessariamente ter que destruir o sonho de tantas pessoas! Destruir sonhos, frustar perspetivas, não nos dar o direito de protestar e aportunidade, a change de ouvir nossas propostas, nossas sugestões... É a ditadura branca... É a democracia travestida pelo jogo de palavras e de promessas. Promessas vãs. Palavras vazias que não entram na cabeças das pessoas mais poletizadas, que são formadores de opinião e que não vão comprometer ou vender o seu voto...
O que me impressiona e me deixa profundamente decepcionada, entristecida, desacredita - É a GRANDE MUDANÇA de comportamente dos Grandes REVOLUCIONÁRIOS que surgiram durante a ditadura militar... Foi uma belela. Um grande engodo. Surgiram sim, os grandes "prometedores de promessas", os vendedores de ilusão, os "encantadores de cavalos"...

Linda disse...

Amigos,

quero fazer algumas correções do meu comentário acima:
escrevi frustar - frustrar
balela
oportunidade
perspectivas

Linda disse...

Caro Mércio,

é bom saber que a "exigência de identificação" das pessoas que acessam o seu blog - foi considerada.
Decidi que continuarei me identificando para que meus comentários não sejam "censurados".
Mas sabemos que existem pessoas que preferem o anonimato e assim, terão elas a liberdade de postar seus comentários, suas críticas sem o "perigo" de futuramente serem perseguidas.

Tenha um bom dia!
E agradeço pela força, incentivo, oportunidade que você tem nos dado, através do seu blog.
A imprensa brasileira tem feito pouco ou quase nada para divulgar tudo que está acontecendo com FUNAI.
Muito grata.

Walter Sanches disse...

"Nem no pior dos pesadelos poderia-se imaginar uma coisa dessas: armas letais contra índios - chamados de
terceiros - a pedido da FUNAI.
Por que a questão indígena passa por tempos tão miseráveis? Quer dizer, então, que prá fazer hidrelétricas
vale tudo? Até autorizar o uso de armas letais contra índios, se preciso for e pelo simples fato de não aceitarem imposições da FUNAI sem serem ouvidos também?...
Nem na época do Cel.Costa Cavalcante, Ministro do Interior, na ditadura, houve tanta insensatez e incompetência na FUNAI - transformada, hoje, em Fundação Nacional do Empreendimento (FUNAE), e, o que é
mais triste: gerida pela verba de assistência aos índios do país... Essa situação é totalmente incompatível com
o Brasil atual - creio - e os índios não po dem pagar o pato mais uma vez."

Walter Sanches

Linda disse...

Walter Sanches,

compreendo perfeitamente a sua preocupação, indignação,tristeza pela decisão do presidente da FUNAI e do Ministro da Justiça, em colocar policiais na sede da FUNAI em Brasília.
Sabe o que acho de tal decisão e atitude??? MEDO. O medo desequilibra. Faz tremer. Provoca insônia e pesadelos... Tira o sossego, afasta a tranquilidade. Deixa o corpo e a mente em completa desarmonia...

Os homens "supostamente poderosos", bandidos, corruptos, insensíveis, duros - jamais irão compreender que "O verdadeiro "poder" chega: sem ruído, sem alarde, sem violência. E a maioria dos homens não percebem sua ação".

Linda disse...

FINALMENTE!!!!!!!!!!!!!

Finalmente uma boa notícia!

Uma decisão acertada:
A Justiça Federal suspende o leilão da Usina Belo Monte!

E os nossos índios respirarão aliviados... mas, por quanto tempo???

Anônimo disse...

O uso da força na FUNAI está proposto pelo domínio do CTI na direção da FUNAI. E o atual Presidente conivente com essa aberração. Não há como suportar mais tantas inescrupulosidades de governo.

Waldira disse...

Oi Gente,


Quero dizer que os grandes líderes não precisa de alarde ou de segurança, não temem e tão pouco ficam inseguros. Os grandes líderes ficam imortais pela obra realizada. O alarde da gestão da FUNAI e essa segurança nacional demonstra que não são lideranças. Precisam ser humildes e flexíveis para enxergar seus atos descompansados e inaceitáveis. Porém não os são. E sua imartalidade ficará pela matança e miserabilidade o qual deixará os indígenas que vive da terra e de sua produção, daqueles que se mantém digno pela sua experiência. Estes que se dizem entendidos com certeza ficará sem dormir com a trágica história realizada por e que será vivenciadas pelos indígenas. A conscientização da injustiça feita contra os necessitados os matará minuto a minuto, com alucinações de povos sofridos padecendo a sua frente. Deus é justo, a justiça nem sempre.
Nada é permanente e com certeza a passagem da atual gestão terá um fim. Anciosamente aguardo esse momento. Abraços,
Waldira

Anônimo disse...

Ministério da Justiça vigia, com armas, indígenas acampados em Brasília


http://www.gentedeopiniao.com/hotsite/conteudo.php?news=59815

 
Share