sexta-feira, 9 de abril de 2010

Cai a máscara do autoritarismo da direção da Funai

Instado pelo presidente da Funai, o ministro da Justiça publicou hoje um decreto que formaliza a presença da Força Nacional na portaria do órgão indigenista, inclusive com capacidade de uso de armas letais contra terceiros.

Que terceiros são esses, cara pálida?


PORTARIA No- 564, DE 8 DE ABRIL DE 2010

Dispõe sobre o emprego da FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA no Distrito Federal em apoio a FUNAI

O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, e considerando o disposto na Lei nº 11.473/07 e a manifestação do Senhor Presidente da FUNAI, solicitando apoio necessário da Força Nacional de Segurança Pública, a fim de garantir o pleno desenvolvimento dos trabalhos no âmbito da sede da Funai, em Brasília, bem como a incolumidade física das pessoas envolvidas na questão e do patrimônio, conforme solicitação contida no Ofício nº 0137/PRES-Funai, datado de 22 de março de 2010.

Autorizo o emprego da Força Nacional de Segurança Pública em caráter episódico e planejado em consonância com a Portaria nº 0394/2008, para atuação em apoio Funai, a fim de garantir o pleno desenvolvimento dos trabalhos no âmbito da sede da Fundação Nacional do Índio, em Brasília, bem como a incolumidade física das pessoas envolvidas na questão e do patrimônio, sob as seguintes orientações:

Art. 1º Os policiais da Força Nacional irão atuar, segundo solicitação, em apoio a Fundação Nacional do Índio - Funai, nas ações de preservação do patrimônio público e da incolumidade pessoas envolvidas na questão;

Art. 2º O número de policiais a ser disponibilizado pelo Ministério da Justiça obedecerá ao planejamento definido pelos entes envolvidos na operação;

Art. 3º O prazo, no qual serão realizadas as atividades da Força Nacional, será de 60 (sessenta) dias, prorrogáveis se necessário (art. 4º, parágrafo 3º, I, do Decreto 5.289/2004);

Art. 4º O uso de armas letais destina-se à legítima defesa dos policiais e de terceiros;

Art. 5º Nortearão as ações da Força Nacional os dispostos na lei 11.473, de 10 de maio de 2007, bem como o Decreto 5.289, de 29 de novembro de 2004;

Art. 6º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

LUIZ PAULO BARRETO

9 comentários:

Moacir disse...

Está legitimada a 7a Cavalaria do General Custer. Quem sabe a direção da FUNAI encontre o seu Little Bighorn!

Anônimo disse...

Nos chamam antigos, trogloditas, dinossauros..... riem de nós, tripudiam! Ainda que cuspissem na gente, vá lá. Faz parte do jogo. Eles, vitoriosos, nós derrotados. Capitulamos em silêncio, como bem provam vozes ausentes, bolsos garantidos.
Mas, audácia das audácias, eles ultrapassaram o razoável.
Como entender um ato de tamanha truculência, a macular irremediavelmente a vida e a história de uma instituição (com seus erros e acertos). Que vitória espetacular eles almejam?

ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE CRISTÃ DEUS É FIEL disse...

E o que dizer deste concurso da Funai?
Inúmeras reclamações de irregularidades Brasil afora.
Não obediência ao Edital pela Organizadora, Instituto Cetro.
Esta é política indigenista do Brasil...

Blog do Walfredo disse...

Meu Deus não deixe que os índios do Brasil sejam exterminados, depois de tanta luta para salvá-los. Apelo para os colegas indigenistas que deixem em massa as funções. A Posteridade chamará todos de parceiros neste genocidio.

Anônimo disse...

Que pena Caro Mércio!

Fomos derrotados, pq neste Governo LULA é assim. Um rolo compressor que sái esmagando tudo e todos.

Que tristeza estamos sentindo! Pra quem nunca viveu o indigenismo, o amor pela causa ndígena,nunca saberá o que destruiu. Pra essa turma aí, tanto fáz, infelizmente.

Márcia

w_xavante disse...

Dentro do prédio da Funai, os militares passam o dia acessando a computadores, agora escondidos sob um “paredão”.
Quais serão os segredos?
Será que é uma espécie de “DOPS”?

Waldira disse...

Oi Xavante,


Os militares nem se dão ao trabalho de esconder que estão no computador, sabe-se lá fazendo ou lendo o que? Enquanto nos matamos para manter o pouco de avanço conquistado ao logo dos anos, estes estão apenas sentado servindo de segurança do que? se acham que fizeram bondades, porque estão tantos aparatos? Todo esse policiamento é sinal de que não se tem certeza da bondade. É bom ganhar sem fazer nada.

Waldira disse...

Boa Noite,


Acreditei embora parcamente, de que o Luiz Paulo Barreto, viesse a fazer alguma coisa ou ao menos ter uma postura melhor do que o anterior, mesmo porque já levava a vantagem de não recair no erro anterior com a experiência vivenciada ao lado do antecessor. Ledo engano, esse saiu de encomenda, já vem com granada para uma completa guerra. A FUNAI está parecendo um posto de massacre, tendo a frente os guerrilheiros. Pior que os massacrados são em sua maioria desnutridos, desaldeados, agricultores, que tem como único armamento as mãos calejadas de trabalhar de sol a sol para colocar também nas nossas mesas os alimentos de que disposmos nas feiras livres. Enxadas, foice, sementes, adubos estas são as armas usadas pelos massacrados, será uma guerra justas. Claro que não, infelismente o poder sobe a cabeça dos despreparados e acima de tudo dos incompetentes. Que Deus ajude os indígenas a superar esse sofrimento de cabeça erguida. Os índios não são guerrilheiros e sim guerreiros, eis a diferença.

waldira

Anônimo disse...

Ministério da Justiça vigia, com armas, indígenas acampados em Brasília


http://www.gentedeopiniao.com/hotsite/conteudo.php?news=59815

 
Share